Diretor do FC Porto revela troca de e-mails com o Expresso

Diretor do FC Porto revela troca de e-mails com o Expresso

Diretor de comunicação e informação do FC Porto considerou estranho o comportamento daquele jornal semanário, considerando tratar-se de uma notícia para atingir Pinto da Costa

Francisco J. Marques, diretor de comunicação e informação do FC Porto, aproveitou a presença no programa Universo Porto de ontem no, Porto Canal, para revelar que o clube respondeu a uma série de perguntas colocadas pelo Expresso no âmbito do dossiê Football Leaks.

"Respondemos a um primeiro lote de questões que foram colocadas sobre o negócio futebol. Mais do que isso, esclarecemos o carácter excecional daquela resposta e que o FC Porto não opera com offshores, nem paraísos fiscais". Ao todo, segundo o diretor de comunicação do FC Porto, o Expresso terá enviado um total de 73 questões "sendo que dessas, apenas quatro eram sobre a Energy Soccer", a empresa de Alexandre Pinto da Costa que seria tema de manchete do semanário.

"No mínimo, este comportamento é estranho, sendo evidente que o único objetivo é construir uma notícia para atingir o presidente Pinto da Costa". Francisco J. Marques considera não existir "nada de novo" naquilo que foi escrito pelo jornal, estranhando o espaço dedicado à compra de duas mil ações por parte de Alexandre Pinto da Costa num negócio que "envolve dois mil euros". O diretor de comunicação e informação do FC Porto estranhou igualmente as considerações elaboradas pelo jornal sobre a ética do relacionamento entre Alexandre Pinto da Costa e o pai, Jorge Nuno Pinto da Costa, recordando que "há muitos grupos económicos em que é o filho a suceder ao pai como acontece, por exemplo, com o grupo do Expresso" para concluir que "eticamente discutível é enviar 73 perguntas, sendo que apenas quatro são sobre o tema da reportagem que se escreve".