Diogo Costa e Marchesín disputam baliza do FC Porto: "Ninguém assina contrato como titular"

Diogo Costa e Marchesín disputam baliza do FC Porto: "Ninguém assina contrato como titular"

Jovem guarda-redes português relegou, por decisão de Sérgio Conceição, o colega Marchesín para o banco de suplentes no começo da Liga

Hélton, ex-guarda-redes brasileiro do FC Porto, considerou, esta terça-feira, que a (quiçá) inesperada titularidade de Diogo Costa na baliza portista no início desta época se deve à superação do jovem guardião no trabalho e à filosofia do clube portista.

"É um miúdo que sempre abraçou as oportunidades e o resultado está aí. Se lhe foi dada a titularidade é porque tem trabalhado em condições e tem a confiança do mister [Sérgio Conceição]. Cada vez mais, tem sido dada a oportunidade aos mais jovens. O FC Porto tem essa característica, olhar para dentro de casa", afirmou.

À margem da inauguração da nova loja da Liga Portugal, situada em Matosinhos, o também embaixador do organismo que gere o futebol profissional deu a entender que Diogo Costa poderá alcançar a Seleção A, mas aconselhou o jovem pupilo portista a manter o afinco diário no clube.

"Desejo que continue a trabalhar. Depois vêm os resultados positivos, as apostas, a confiança de ambas as partes. Tanto do FC Porto, onde tem oportunidade de trabalhar directamente, como da seleção [de Portugal] também", referiu Hélton.

Dada a titularidade recebida, Diogo Costa relegou Marchesín, dono da baliza nas últimas épocas, para o banco de suplentes, mas Hélton crê que o guardião argentino está tranquilo e poderá até ajudar o colega a evoluir o próprio nível, tal como Vitor Baía fez consigo quando chegou oriundo do Leiria, em 2005.

"Ninguém assina contrato como titular. Vale a pena trabalhar, mostrar trabalho. Tem a cabeça dele tranquila, é um grande guarda-redes, é experiente e tenho a certeza que fará [com o Diogo Costa] o que o Vítor Baía fez comigo: incentivar e ajudar", concluiu.

Desde o começo da nova temporada, o guardião português Diogo Costa foi titular, por decisão de Sérgio Conceição, nos dois primeiros jogos oficiais da equipa portista: ante o Belenenses e o Famalicão (Liga Bwin).