Corona tem mercado e FC Porto pode negociar a venda depois da Gold Cup

Corona tem mercado e FC Porto pode negociar a venda depois da Gold Cup
Carlos Gouveia

Tópicos

Mexicano entrou no último ano de contrato e a SAD portista está disposta a vender abaixo da cláusula para equilibrar as contas e ter liquidez para ir às compras. Negócio para avançar depois da Gold Cup

O Tottenham juntou-se ao Sevilha e é o mais recente interessado em Corona, um dos jogadores que a SAD portista tem a expectativa de negociar neste defeso. O encaixe financeiro com vendas é fundamental, não só para o equilíbrio das contas, mas também para ter liquidez para investir nos reforços que Sérgio Conceição pretende, com um lateral esquerdo como prioridade.

Nuno Espírito Santo, que trabalhou com Corona no FC Porto e conhece bem as suas características, já terá dado indicações à direção dos "spurs" para perceber em que moldes pode haver negócio, caso Lucas Moura saia do clube.

O mexicano está protegido com uma cláusula de rescisão alta - voltou a ser de 40 milhões de euros -, mas entrou no último ano de contrato e, como tal, o FC Porto aceita vendê-lo por uma verba substancialmente inferior. Até porque sabe que não será fácil renovar com o internacional mexicano, que está a disputar a Gold Cup.

Aliás, de acordo com fontes próximas do jogador, só no final dessa competição é que irá sentar-se com o seu empresário para analisar todas as hipóteses que tem para dar continuidade à sua carreira. Corona tem 28 anos - está no FC Porto desde 2015 - e sabe que esta é a altura certa para sair, mesmo que o possa fazer a custo zero dentro de um ano.

O Tottenham está muito perto de contratar um extremo, no caso Bryan Gil, por 25 milhões de euros. O espanhol do Sevilha pode ir para Londres e, com isso, viabilizar a ida de Tecatito para a Andaluzia... O Sevilha de Lopetegui é o mais antigo "noivo" do portista e, em Espanha, há quem garanta que o dinheiro encaixado com Bryan Gil servirá para apresentar uma proposta ao FC Porto.

Certo é que os portistas querem vender Corona para não o ver, depois, sair a custo zero e, como tal, este pode ser um bom negócio todas as partes.