Conceição, a situação de Wendell e ainda Diogo Costa: "Está a fazer o papel dele"

Conceição, a situação de Wendell e ainda Diogo Costa: "Está a fazer o papel dele"

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, em conferência de Imprensa ao encontro frente ao Atlético de Madrid, da primeira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões, agendado para as 20h00 de quarta-feira, em Madrid.

Grupo mais equilibrado da Champions? "O equilíbrio está patente, por aquilo que é a história de cada um clubes. Tivemos uma final da Liga dos Campeões em 2004 e desde aí estes clubes estiveram cada um duas vezes em finais. São oito finais, é sinal do poderio e do peso histórico destes clubes. O Milan no campeonato italiano, Liverpool no inglês e Atlético de Madrid no espanhol, fazem parte de campeonatos em termos financeiros e de competitividade mais fortes que o nosso, não há dúvida nenhuma... Conseguimos sempre contrapor essas diferenças com o espírito, com uma ambição e determinação muito grande, olhando para cada jogo como uma oportunidade de ganhar esse mesmo jogo e é dessa forma que vamos encarar este."

Diogo Costa: "O Diogo Costa está a fazer o papel e o trabalho dele, de acordo com a sua qualidade e evolução que tem tido. Não nos podemos esquecer de um outro guarda-redes que nos deu muito nestes últimos tempos na Liga dos Campeões, que é o Marchesín e que está lesionado. Mas independentemente disso, o Diogo Costa começou a jogar com o Marchesín em condições, depois é a semana de trabalho é que me vai dizer por quem eu opto, incluindo obviamente o Cláudio Ramos e o Meixedo."

Integração de Wendell: "Pode parecer estranho. Wendell tem-se preparado, tem trabalhado connosco para conhecer e perceber o que queremos dele nos princípios da nossa equipa, e não é num estalar de dedos... Uma coisa é termos um jogador completamente rodado, a ultima titularidade de Wendell foi em maio. A utilização é pouco e tive 10 jogadores durante 15 dias, se tivesse o grupo todo trabalhando de uma forma diferente... Não quer dizer que não seja opção, era opção para o Sporting também. Se me perguntarem se estava nas condições para ser lançado no clássico? Posso ter mais dúvidas. Não quer dizer que não comece amanhã. Correndo o risco de dizerem que sou mau treinador por lançar um jogador que não tem minutos de jogo e que não era conhecedor do estilo de jogo do FC Porto. Somos presos por ter cão e por não ter. Tomo as decisões em consciência, sendo cabeça dura como dizem, mas tenho orgulho disso, sou uma pessoa de convicções."