Pinto da Costa: "O segredo de justiça é uma grande brincadeira"

Pinto da Costa, presidente do FC Porto

 foto Pedro Correia/Global Imagens

Pinto da Costa marcou presença no evento organizado pela Casa do FC Porto de Caracas, em Nogueira da Regedoura, onde fez um balanço sobre o momento desportivo do clube, mas também deixou críticas na sequência das recentes buscas.

Momento do clube: "Estou aqui com o coração aberto, num momento complicado para o FC Porto, em que numa orquestração que toda a gente compreende de onde vem, há televisões e jornais que diariamente inventam e publicam notícias. Hoje, segundo me disseram, vinha no Correio da Manhã que o Vítor Baía estava afastado de mim. E eu disse: "Mas afastados em que sentido? Estamos todos os dias juntos, fomos a Portimão juntos...". É o que eles dizem. Aproveitando-se do facto de a quebra do segredo de justiça não ser crime, ser até uma grande brincadeira, esses jornais aproveitam para tentar destruir o FC Porto. Não é a mim, porque eu não conto. Agora, têm de ter um foco sobre tudo o que está ligado ao FC Porto."

Consciência tranquila: "Estarei sempre em defesa do FC Porto, sem medo de nada, aconteça o que acontecer, de consciência limpa, de alma limpa, com a certeza de que até à morte defenderei os interesses do FC Porto."

Momento desportivo e desejo: "Felizmente estamos num bom momento desportivo. Até há uns dias, em que perdemos em Braga no hóquei em patins, todas as nossas equipas estavam invencíveis no campeonato. Mas somos líderes em todas elas. Durante os quatro anos em que não ganhámos nada até ao dia 27 de maio [de 2017], em que se celebraram 30 anos da vitória em Viena [Taça dos Clubes Campeões Europeus] e contratámos Sérgio Conceição, nunca senti desânimo em ninguém. Senti tristeza, como eu tinha, mas senti sempre uma confiança de que iríamos dar a volta às coisas e voltar a vencer. Sempre presentes, sempre unidos e é o que desejo."

União: "Disse nos Dragões de Ouro de que era necessário estarem todos unidos. Não é à minha volta; é à volta do FC Porto, do nosso símbolo, do nosso dragão. Obviamente que assumo as responsabilidades de presidente e, como tal, sinto que estarão sempre comigo."

Apoio: "Peço-vos encarecidamente que o apoio que me têm dado sempre e espero que continuem a dar ainda algum tempo, que deem sempre ao FC Porto, seja quem estiver à frente dos seus destinos. O FC Porto nasceu em 1893, mas há uma coisa que tenho a certeza: não tem data para a sua morte. O FC Porto será imortal e a vida do FC Porto é como uma corrida de estafetas, em que os presidentes levam a estafeta até entregarem ao sucessor. E esse entregará a outro, e a outro, e a outro até que haja mundo e um portuense e um portista vivo."

Futuro: "O FC Porto terá um futuro brilhante, porque vós sabeis passar este sentimento e amor do clube de geração em geração, como tenho visto em todas as casas. É para mim um momento de muita satisfação, de muito conforto, de muita vontade de continuar a lutar pelo FC Porto. É isso que farei. E na terça-feira, se conseguirmos a nossa vitória, o nosso objetivo, podem crer que nesse momento pensarei em todos vós."