David Carmo, o lance com Luis Díaz e a lesão: "No meio daquilo tudo, eu é que tive de me lixar..."

David Carmo trocou o Braga pelo FC Porto

 foto Ivan Del Val/Global Imagens

David Carmo é o protagonista da edição de agosto da Dragões, publicação do FC Porto que já está disponível no formato digital

O lance com Luis Díaz - da lesão - era falta? "Não. Eu sempre disse isso, até a amigos próximos que possam ter pensado em vingança. Depois da lesão houve fases, quando a recuperação não estava a correr tão bem, que eu pensei: "No meio daquilo tudo, eu é que tive de me lixar e fiquei mal no lance". Mas é futebol, vou para o campo, quero ganhar e, como tudo na vida, há consequências. Estamos todos sujeitos a lesões e momentos difíceis. Calhou-me a mim e só tive de fazer o meu trabalho para recuperar da melhor maneira."

O pesadelo: "Sim, porque começamos a questionar tudo. Houve fases da lesão em que comecei a pensar para além do futebol e no que faria se não voltasse a dar. Felizmente tenho uma pessoa ao meu lado que me ajuda muito, tenho pais que me ajudam muito e amigos com quem posso sempre contar. Houve alturas em que fui abaixo e eles levantaram-me."

Recuperar de uma fratura da tíbia e do perónio: "É muito mental. Muito mais do que os fisioterapeutas, que estão sempre disponíveis e são uma ajuda enorme, acho que nós próprios temos de ser muito fortes e pensar somente no objetivo: voltar a jogar num estádio cheio e ganhar títulos. Essa tem de ser a nossa maior motivação e tem de estar sempre na nossa cabeça".