Conceição e os assobios a David Carmo: "Se fosse adepto, talvez também ficasse chateado"

Sérgio Conceição dá indicações a David Carmo

 foto Pedro Correia / Global Imagens

Declarações de Sérgio Conceição, treinador portista, após o FC Porto-Bayer Leverkusen (2-0), partida relativa à terceira jornada do Grupo B da Liga dos Campeões.

Primeira parte mais fraca: "Isto é um jogo da Liga dos Campeões e queríamos todos que corresse como na segunda parte, mas nem sempre é possível. Tivemos uma adversário competitivo e que tem testes semanais numa Liga que, para mim, é uma das três melhores do Mundo, se não a melhor. Estávamos a definir mal os momentos e as zonas de pressão, tem de ser uma ação coletiva e não dois ou três a pensar numa coisa, sem o resto dar continuidade. Eles tinham jogadores que desequilibravam com facilidade e nós na segunda parte fizemos algumas correções. O Bruno Costa estava a cumprir as tarefas que lhe eram pedidas mas decidimos mudar algumas coisas. A equipa tinha pouca bola e pouco discernimento e isso na segunda parte mudou, conseguimos expor algumas fragilidades do adversário".

Assobios aos atrasos de David Carmo: "40 mil pessoas no estádio e cada um é um treinador à sua maneira, é isso que é apaixonante no futebol. Enfrentámos uma equipa pressionante e perder a bola é mais grave do que o David Carmo passar a bola ao Diogo Costa. Fui eu que pedi isso, eles têm é que assobiar o treinador. Os jogadores estão lá para interpretarem o que pedimos em termos estratégicos e precisam de apoio emocional. Se fosse adepto talvez também ficasse chateado com isso, mas o futebol não é assim, os treinadores tem de ter discernimento e há explicar ao David Carmo que o que fez noutro lance qualquer é mais grave do que um atraso. Não há grande coisa a fizer em relação a isso".