"As pessoas esquecem-se que o Zaidu fez parte da equipa-revelação da Champions"

Zaidu queixou-se de penálti neste lance com Kondogbia

 foto EPA

Do onze à bancada e de volta à titularidade, o nigeriano entrou numa montanha-russa no início de época. "Rende mais quando se sente acarinhado", diz quem o conhece

Mais de um mês após a última presença no onze do FC Porto, Zaidu regressou à titularidade frente ao Atlético de Madrid, no último capítulo de um início de época que mais se assemelhou a uma montanha-russa para o nigeriano. Sérgio Conceição substituiu o lateral ao intervalo, mas fez questão de frisar que a decisão deveu-se exclusivamente ao cartão amarelo da primeira parte.

"Um sinal de confiança transmitido pelo treinador ao Zaidu e uma mensagem para quem vê de fora. O jogador fica a saber qual a razão para a sua substituição e todos percebem que Sérgio gostou do que viu", afiançou Diogo Boa Alma, ex-diretor desportivo do Santa Clara, a O JOGO, ele que privou com Zaidu nos Açores. "As pessoas esquecem-se que o Zaidu fez parte da equipa-revelação da Champions no ano passado. Conceição nunca passou a ideia de que não acredita nele", prosseguiu.

Depois do jogo com o Famalicão, Zaidu ficou de fora das opções durante três rondas da Liga. Entretanto, Wendell chegou ao FC Porto e Marcano foi lançado no corredor. Esse período terá sido de reflexão: "Pensou no que tinha a melhorar. Ele [Zaidu] não acusa pressão e isso é bom. Trabalha sempre com máximo afinco", explicou Boa Alma, que vê no internacional nigeriano um jovem que beneficia com o "carinho e confiança" que recebe em contexto profissional: "Rende muito mais quando sente que é importante e acarinhado. Depois de uma temporada no FC Porto, está mais maduro. Ainda terá muito para aprender, mas o potencial está lá e já todos perceberam isso". A esse respeito, os últimos sinais deixados por Sérgio Conceição são positivos para Zaidu, que tentar recuperar de vez o lugar na ala esquerda.

Concorrência é fator positivo

Além de Zaidu, foram três os jogadores lançados na lateral-esquerda do FC Porto em 2021/22. Concorrência que é positiva para o nigeriano, defende Diogo Boa Alma: "O Wendell é mais experiente, pode resolver problemas no imediato e há Marcano e Manafá. Só pode ser bom para o Zaidu aprender. Não podemos esquecer que estava no Mirandela há três épocas. Cobram-lhe como se tivesse dez anos de alta competição, mas não é assim."