"Não tenho medo de chegar a Roma por empréstimo do FC Porto"

"Não tenho medo de chegar a Roma por empréstimo do FC Porto"

Sérgio Oliveira pretende "ficar muito tempo" na Roma

Sérgio Oliveira reconheceu que queria um novo desafio na carreira, com a saída do FC Porto para a Roma, por empréstimo, e que está preparado para tornar longa a permanência em Itália.

"Queria um novo desafio, uma nova experiência. Não tenho medo de chegar a Roma por empréstimo do FC Porto. Para merecer a confirmação [opção de compra], tenho de estar bem em campo, nos treinos e jogos, para ficar muito tempo", disse o jogador, em conferência de imprensa de apresentação.

Na terça-feira, a Roma, treinada pelo português José Mourinho, anunciou a chegada por empréstimo, até final da época, do médio, de 29 anos, num acordo que admite uma opção de compra para o clube italiano.

Na chegada ao clube, Sérgio Oliveira deixou ainda agradecimentos para o que ficou para trás, lembrando a ligação aos "dragões" e a Sérgio Conceição, treinador que o orientou no Nantes e no FC Porto, e com quem cresceu.

"Estou muito grato ao FC Porto e ao seu treinador, por me fazer crescer e trazer para estes patamares", sublinhou o médio.

Sérgio Oliveira disse também que está numa fase em que já provou o seu valor no futebol, chegando à Roma num momento de "maturidade" e com o sentimento de responsabilidade para ajudar o clube.

Em relação às palavras de José Mourinho, de que a Roma poderia ver chegar um médio de alto nível e com personalidade, Sérgio Oliveira devolveu os elogios lembrando que o compatriota é um treinador habituado a vencer e a ter grandes jogadores.

Com a entrada na equipa italiana, o jogador falou também de um regresso à seleção portuguesa, pela qual jogou pela última vez no Euro'2020, como suplente utilizado no jogo em que a Bélgica eliminou Portugal, nos oitavos de final (1-0).

"O meu objetivo é regressar à seleção, o selecionador sabe disso. Portugal tem de vencer o primeiro jogo [no "play-off" de apuramento para o Mundial'2022, com a Turquia], e depois, talvez, defronte a Itália. Portugal tem o que é preciso para estar no próximo Mundial", considerou o médio.