Portimonense reage à decisão do CD e recorda Belenenses-Benfica

Portimonense reage à decisão do CD e recorda Belenenses-Benfica

O Conselho de Disciplina da FPF anunciou a abertura de um processo de inquérito ao Portimonense.

O Conselho de Disciplina da FPF anunciou a abertura de um processo de inquérito ao Portimonense. Em causa, o "apuramento de factualidade relacionada com eventual apresentação de equipa inferior em jogo a contar para a Liga Portugal Bwin", ou seja, aos factos ocorridos na partida da 30ª jornada que o FC Porto venceu, por 7-0. "Instauração de processo de inquérito, por deliberação da Secção Profissional, de 18 de abril de 2022, tendo por objeto apuramento de factualidade relacionada com eventual apresentação de equipa inferior em jogo a contar para a Liga Portugal BWIN. O processo foi enviado, dia 22 de abril de 2022, à Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, ficando excluída a publicidade até ao fim da instrução", pode ler-se no comunicado.

Perante isto, o Portimonense reagiu em comunicado, não deixando de estranhar a decisão do órgão federativo. "Não podemos acreditar que assim seja, e não poderemos crer que as entidades desportivas - elas próprias - sejam um ator num ataque que procura apenas destabilizar um grupo de trabalho que está unido e focado em terminar mais uma época desportiva no mais alto escalão português", pode ler-se num texto que recorda ainda o célebre Belenenses-Benfica, partida da I Liga que começou com a equipa azul com nove jogadores. "Na mesma época desportiva em que foi autorizada uma equipa entrar em campo com 9 jogadores e já depois de técnicos manifestarem em conferência de imprensa de antevisão aos jogos que iriam gerir o seu plantel em função do adversário seria idiota intentar à Portimonense SAD um processo de inquérito que coloca em causa a seriedade da equipa técnica, jogadores, dirigentes e administração", lê-se.

COMUNICADO NA ÍNTEGRA

"A Portimonense SAD foi hoje confrontada pela comunicação social da eventualidade do Processo de Inquérito n.24 ter como objecto o jogo entre a Portimonense SAD e o Futebol Clube do Porto-SAD.

Primeiramente, não foi a Portimonense SAD citada de que o referido processos sobre si impendia, todavia, estranha que a Comunicação Social tenha obtido essa informação de um órgão que se pretende e se diz ser estanque.

Seguidamente, não se quer crer que mesmo dia que o futebol português assiste a uma decisão judicial que coloca em dúvida o investimento nas sociedades anónimas desportivas a resposta das entidades desportivas seja o ataque feroz, impiedoso e infundado à Portimonense SAD que fruto de investimento de accionistas cumpre escrupulosamente com as suas obrigações financeiras e tem como prioridade o engrandecimento das instalações de trabalho para a prática do futebol.

Na mesma época desportiva em que foi autorizada uma equipa entrar em campo com 9 jogadores e já depois de técnicos manifestarem em conferência de imprensa de antevisão aos jogos que iriam gerir o seu plantel em função do adversário seria idiota intentar à Portimonense SAD um processo de inquérito que coloca em causa a seriedade da equipa técnica, jogadores, dirigentes e administração.

Não podemos acreditar que assim seja, e não poderemos crer que as entidades desportivas - elas próprias - sejam um ator num ataque que procura apenas destabilizar um grupo de trabalho que está unido e focado em terminar mais uma época desportiva no mais alto escalão português.

Recordemos que a Portimonense SAD não constrói o seu orçamento com base em perdões de dívida, com base em lay-off dos trabalhadores, com base em Processos Especiais de Revitalização, com base em deferimento de dívidas, porém, é sobre esta SAD que incide a atenção das entidades desportivas.

Lamenta-se que assim seja, e se o é, a uma única razão se poderá dever; à incapacidade de lidar com o êxito do investimento estruturado e sustentado no futebol português.

A Portimonense SAD continuará a pugnar pela sustentabilidade e rentabilidade do futebol Português esperando que o amadorismo que impera aprenda ao invés de atacar."