Portimonense continua muito ativo no mercado e Felipe Pires está quase garantido 

Portimonense continua muito ativo no mercado e Felipe Pires está quase garantido 
Hélio Nascimento

Tópicos

O brasileiro, que passou pelo Moreirense, estava no Dnipro quando a guerra na Ucrânia eclodiu e chegou a pedir ajuda via redes sociais. Já garantido está o médio João Nóbrega, mas para os sub-23

Felipe Pires, um extremo brasileiro que há duas épocas brilhou no Moreirense, está a caminho do Portimonense, depois de ter atuado nos neerlandeses do Den Haag, cedido pelo Dnipro da Ucrânia. Trata-se de um jogador experiente (27 anos), com anteriores passagens pelo futebol alemão e austríaco, tendo ainda atuado pelo Palmeiras e Fortaleza antes de chegar a Moreira de Cónegos, em 2020.

A sua história mais recente, todavia, tem algo de quase dramático. Vamos aos factos: no mercado de janeiro, assinou pelo Dnipro, por quatro épocas e meia, mas a aventura foi logo interrompida, devido à invasão da Rússia em território ucraniano. Sem ter feito um jogo que fosse, face à suspensão do futebol naquele país, Pires chegou a aparecer num vídeo publicado nas redes sociais, pedindo apoio, ao lado dos compatriotas Gabriel e Bill. "Não sabemos o que fazer. Não temos muitas informações e estamos a pedir ajuda porque a nossa situação está muito complicada", disse então Pires, numa altura em que Nélson Monte, igualmente no Dnipro, passava pelo mesmo drama.

Agora, que o pior já passou, deve voltar a Portugal. Os algarvios querem reforçar os flancos ofensivos, inclusive porque os processos de Angulo e Nakajima continuam em "banho maria", pelo que Pires é uma aposta a considerar, sobretudo por conhecer bem a Liga Bwin e poder jogar à esquerda e à direita do ataque.

Uma última referência para outra contratação, mas esta para a equipa de sub-23: João Nóbrega, um médio de 20 anos que representou o Olhanense (31 jogos e três golos), já recebeu as boas vindas de Rodiney Sampaio, presidente da SAD.