"O Portimonense já provou que consegue fazer frente aos grandes"

"O Portimonense já provou que consegue fazer frente aos grandes"
Hélio Nascimento

Tópicos

Filipe Relvas continua de pedra e cal no onze e, como central, está preparado para a mobilidade dos avançados do Sporting, sem se preocupar muito com nomes. Paulinho, Pedro Gonçalves e Sarabia têm praticamente "o mesmo estilo" na opinião do jogador. O defesa expressa a ambição de terminar o campeonato em beleza e com mais vitórias.

Filipe Relvas, o jovem defesa de 22 anos que ainda há duas épocas jogava no Pedras Rubras, diz a O JOGO que a receção ao Sporting é "para ganhar", de modo a que o Portimonense termine o campeonato em beleza.

No sábado, com o Sporting, uma vez que Willyan cumpre castigo, vai certamente voltar a jogar a central. Preparado?
-Sim, estou sempre preparado para atuar em qualquer posição e esta, a de central, é onde me sinto mais confortável, embora tenha já rotinas a lateral. A ambição é a mesma e, claro, é um jogo para ganhar.

Mudar frequentemente de posição não o afeta?
-No início houve um período de adaptação, mas penso que até correu bem. Neste momento não me afeta. A posição de central é a que conheço melhor, mas esta época até fiz mais jogos a lateral. Onde tiver que jogar, faço-o sempre com a mesma vontade.

Como perspetiva este jogo com o Sporting?
-É um jogo naturalmente difícil, contra uma boa equipa, mas o Portimonense já provou que consegue fazer frente aos grandes. Em Alvalade, por exemplo, demos luta e criámos muitos problemas [3-2]. Temos qualidade para competir com qualquer adversário, respeitando o Sporting e lutando pela vitória.

O facto de as duas equipas terem já definidas as suas posições não tira interesse ao jogo?
-Na verdade, os objetivos principais estão alcançados, mas o grupo sabe que é melhor ficar em 7.º ou 8.º do que em 11.º. Sentimos que podemos ficar na primeira metade da tabela, pelo que não vai faltar ambição.

Jogar contra os grandes é sempre diferente?
-Os pontos da vitória são os mesmos, mas um jogador acaba por admitir que é especial defrontar FC Porto, Benfica ou Sporting. A equipa também quer mostrar que pode competir de igual para igual com um grande e conquistar os três pontos.

No sábado pode ter pela frente Paulinho ou um avançado mais móvel, como Sarabia e Pedro Gonçalves. O que prefere?
-O preferível será pensar em mim e estar preparado para qualquer tipo de jogador ou sistema. O Sporting tem sempre elementos móveis na frente, quase todos do mesmo estilo, mas, repito, temos é de estar preparados, focados no trabalho e sem pensar muito se vai ser este ou aquele.

A época superou as suas expetativas? Contava fazer tantos jogos [26]?
-Confesso que foi uma época muito positiva e sei que podem vir coisas melhores. O grupo é bom e ajuda, a dinâmica da SAD também, o treinador apostou em mim e ainda há a montra dos sub-23, onde joguei na época transata [25 jogos e cinco golos]. Estou no bom caminho.

O objetivo da permanência foi garantido, mas aquela longa série de jogos sem vitórias...
-Podíamos ter conseguido um ou outro desfecho melhor, mas soubemos lidar com isso e aliviámos a ansiedade com duas vitórias importantes. Ainda nos afetou um bocado, mas sempre tivemos a consciência de que a nossa qualidade não estava espelhada nesses resultados.