Garantida a manutenção, Folha admite algum "relaxamento nos jogadores"

Garantida a manutenção, Folha admite algum "relaxamento nos jogadores"

O treinador disse ainda que para o embate com o Marítimo existem algumas dúvidas para formar a equipa, devido ao facto de alguns jogadores apresentarem pequenos problemas físicos.

O treinador António Folha disse esta sexta-feira que o Portimonense vai receber o Marítimo, na 33.ª e penúltima jornada da I Liga, "com o pensamento na vitória", embora admita alguma descompressão após ter assegurado a manutenção.

"Queremos fazer um bom jogo para ganhar ao Marítimo, porque é isso que qualquer treinador quer, apesar de termos atingido já o nosso objetivo", disse o treinador da equipa algarvia.

Folha falava na conferência de imprensa de antevisão do encontro que opõe o Portimonense, 13.º classificado, com 36 pontos, ao Marítimo, 10.º, com 39, no sábado, às 15h30, no Estádio Municipal de Portimão, arbitrado por Cláudio Pereira, da Associação de Futebol de Aveiro.

Na opinião do treinador, o jogo terá características diferentes dos outros em que a equipa lutava por conquistar os pontos necessários para assegurar a permanência no escalão principal, tendo a garantia da permanência provocado algum "relaxamento nos jogadores".

"Acredito que o estado de espírito seja diferente, mas enquanto treinador quero que a equipa mantenha a mesma postura que teve ao longo da época, para proporcionar um bom espetáculo", sublinhou.

Segundo Folha, o objetivo de manter a equipa no escalão principal do futebol português "foi conseguido através de muito trabalho, embora tenham existido alguns altos e baixos ao longo da época".

"Trabalhámos muito durante a época para que isso acontecesse e, quando acaba assim, é motivo de grande satisfação para todos", destacou.

O treinador disse ainda que para o embate com o Marítimo existem algumas dúvidas para formar a equipa, devido ao facto de alguns jogadores apresentarem pequenos problemas físicos.

O treinador, que tem contrato com o Portimonense até 2021, admitiu existirem contactos com a direção para prolongar o vínculo por mais tempo: "Estou satisfeito em Portimão e com a mesma vontade do que quando aqui cheguei", concluiu.