A receita para travar o ataque do Benfica: "Tudo começa com o Jackson lá na frente"

A receita para travar o ataque do Benfica: "Tudo começa com o Jackson lá na frente"
Hélio Nascimento

Tópicos

Na época passada, para a Taça da Liga, Jadson marcou no empate (2-2) alcançado na Luz, e agora, para este sábado, promete de novo uma equipa desinibida.

Jadson já foi feliz na Luz. Na época passada, apesar de ter passado por um período complicado, com muitas lesões e apenas cinco jogos realizados, obteve um dos golos do empate do Portimonense (2-2) para a Taça da Liga. "A última vez em que lá atuei fui feliz e espero repetir o golo", diz, sorrindo, em vésperas de nova deslocação. Para tal, muito poderá contribuir a tranquilidade do grupo. "A vitória sobre o Feirense veio dar maior sossego, sobretudo para prosseguirmos o nosso trabalho. Vem aí um jogo bastante difícil, com o líder, mas estamos prontos para dar boa resposta." O central considera que esta tranquilidade nunca foi posta em causa. "A administração e a equipa técnica deixaram-nos sempre à vontade, passando uma mensagem positiva. A nós, competia fazer um bom trabalho e continuar focados na conquista de pontos", objetivo que, garante Jadson, não sofre alterações nas rondas finais. "No próximo jogo, a pressão está do lado do Benfica, pelas razões óbvias. O Portimonense vai fazer o seu jogo, alegre e virado para a frente." O elevado índice de concretização dos encarnados não apoquenta o brasileiro. "Não há uma receita especial. Terá de ser o coletivo a tentar parar os jogadores do Benfica. Não podem ser só os centrais e o guarda-redes, tudo começa com o Jackson lá na frente", opina, alertando para a qualidade de Seferovic, Félix e companhia.

"Temos de estar bem preparados. O adversário tem um pouco de tudo, tanto nas transições como no ataque organizado ou no um para um." Jadson quer continuar a retribuir "o apoio e o carinho" de Folha, que "sempre confiou em mim", prometendo "mais bons jogos", num clube e numa cidade onde se sente acarinhado.

SAD feliz com Folha

Rodiney Sampaio, líder da SAD, confessou que a administração está muito satisfeita com Folha. "Temos contrato com ele ainda por mais um ano, mas, se calhar, vamos reunir-nos com o investidor e é possível estender o vínculo", admitiu. "É uma pessoa responsável, assumiu o nosso projeto e eu, como presidente, estou muito feliz com o seu trabalho."