Honda não pode ser inscrito na Liga e deixa Portimonense

Honda não pode ser inscrito na Liga e deixa Portimonense
Hélio Nascimento

Tópicos

Uma deficiente interpretação dos nossos regulamentos por parte do advogado do jogador levou a que o prazo expirasse. A SAD tentou remediar, em cima da hora, mas sem sucesso

Kosuke Honda, porventura o melhor jogador japonês de todos os tempos, pertence aos quadros do Portimonense, mas não pode ser inscrito na Liga, e, por isso mesmo, não há hipóteses de ser utilizado esta época.

Uma deficiente interpretação dos nossos regulamentos por parte do advogado do internacional nipónico levou a que expirasse o prazo no último dia do mercado de transferências, apesar dos esforços dos algarvios, que, depois da assinatura do contrato, ainda tentaram a inscrição na Liga em devido tempo, mas em vão. Honda só ficou "livre" no final do ano, depois de terminar o vínculo com os brasileiros do Botafogo, mas, para ser considerado jogador desempregado, para a Liga, era preciso que estivesse sem clube desde outubro.

A alegada confusão do advogado terá sido neste ponto: segundo outros regulamentos, os da FPF, existe um regime de exceção que permite que um atleta desempregado possa ser inscrito até ao final deste mês.

A SAD do Portimonense deixou nas mãos de Honda a decisão sobre o seu próprio futuro. Assim, ou recupera totalmente da lesão, vai treinando e pode atuar na próxima temporada, ou, então, é cedido a outro clube com datas diferentes de mercado. O JOGO sabe que há cinco clubes japoneses interessados no seu concurso e que o jogador tem vontade de participar nos próximos Jogos Olímpicos, uma hipótese forte a definir em breve.

SAD ficou sensibilizada

Honda chegou a Portimão em dezembro e ficou agradado com o que viu, de tal modo que, mesmo em tratamento de uma lesão que trouxe do Botafogo, resolveu assinar. Hoje, face ao comportamento íntegro do jogador, o presidente Rodiney Sampaio é taxativo: "Queremos muito que ele fique, mesmo que não possa jogar tão depressa",.