"Foram duas noitadas até às cinco da manhã, mas valeu a pena!"

"Foram duas noitadas até às cinco da manhã, mas valeu a pena!"
Hélio Nascimento

Tópicos

Edgar Vilaça, vice-presidente da SAD, foi um dos elementos-chave para a aprovação do recinto dos algarvios para os jogos finais do campeonato.

"Foram duas noitadas até às cinco da manhã, mas valeu a pena!", atira Edgar Vilaça, vice-presidente da SAD do Portimonense e um dos elementos preponderantes na aprovação, por parte da Liga e da DGS, do Portimão Estádio para receber os jogos do campeonato.

"Ganhámos esta nossa guerra e vimos o trabalho reconhecido. De início, só os estádios de nível 1 poderiam receber as partidas em falta, já que o Portimão Estádio, sendo de nível 3, não disporia de condições. O investimento da SAD foi superior a três milhões de euros, ao longo dos últimos dois ou três anos, mais quatro ou cinco no Centro de Estágio, sendo notório que reunimos boas condições, muito superiores, por exemplo, às do Estádio Algarve. Insistimos sempre nas vistorias, para que os responsáveis analisassem tudo ao pormenor", explica Edgar Vilaça a O JOGO.

O trabalho foi árduo, sobretudo após o aviso, por volta das sete ou oito da noite, de que a vistoria estava marcada para a manhã seguinte. "Não brincamos em serviço. A noitada surtiu efeito e na manhã da fiscalização estava tudo em ordem. Toda a documentação, aliás, mereceu elogios da Liga, da DGS e até de responsáveis do Governo", vinca Edgar Vilaça. E a verdade é que, enquanto "alguns recintos de nível 1, como o Bessa e o do Gil Vicente, têm de fazer obras e alterações, o Portimão Estádio, mesmo sendo de nível 3, foi aprovado à primeira".

E o que é que foi feito, então, no Portimão Estádio? Edgar Vilaça tem a resposta pronta. "Fizemos tudo para corresponder aos planos da DGS, nomeadamente a abertura de portas para os árbitros, equipa visitante e demais entidades, entradas independentes, note-se, de modo a que apenas dentro do relvado os jogadores se cruzem. E mais as sinaléticas. Os autocarros das equipas, quando entram no estádio, sabem o percurso, onde estacionar e como devem sair", enumera o dirigente, aludindo também às medidas de higienização em todas as áreas do estádio.