Fali Candé a um passo do Metz: "Não lhe vamos cortar as pernas"

Fali Candé a um passo do Metz: "Não lhe vamos cortar as pernas"
Hélio Nascimento

Tópicos

A evolução do luso-guineense na equipa principal foi notória, e a sua previsível venda, mais os negócios com Aylton e Jadson, devem propiciar perto de 10 ME de encaixe no cofre dos algarvios

Fali Candé está a um passo de rumar ao Metz, na sequência das boas exibições no Portimonense e agora na CAN, ao serviço da Guiné-Bissau, que despertaram o interesse dos franceses.

O lateral-esquerdo dos algarvios, de 23 anos, habitual titular no onze de Paulo Sérgio, é esperado esta sexta-feira no Algarve (foi eliminado na CAN) e a decisão deve ser tomada no imediato, com a SAD na disposição de vender o jogador por 3,5 milhões de euros por 75 por cento do passe. "Não vamos cortar as pernas ao Fali", disse fonte da administração a O JOGO.

Acresce que o guineense, que tem também nacionalidade portuguesa, mostrou vontade de ter nova aventura, até porque irá auferir um vencimento muito superior ao atual. Esta época, no Portimonense, marcou um golo e fez duas assistências em 17 jogos. Há duas temporadas, note-se, estava nos sub-23.

Caso se concretize o negócio, o Portimonense embolsa, já, perto de 10 milhões de euros nesta janela de mercado, somando à venda de Fali a de Aylton Boa Morte, que rumou ao Khor Kakkan dos Emirados Árabes Unidos - como ontem noticiámos - por pouco mais de 500 mil euros e ainda a de Jadson. Este central brasileiro, recorde-se, foi cedido ao Whuan Three Towns, da China, transitando depois para o Shandong.

Curiosamente, foi campeão das segunda e primeira divisões e ainda ganhou a taça, marcando o golo da final e sendo considerado o homem do jogo. O clausulado inicial estipulava uma opção de compra de 5 milhões de euros, mediante o cumprimento de certos objetivos, que foram plenamente alcançados.