Da infância aos treinos com bolas de ténis: o percurso de uma revelação da Liga NOS

Da infância aos treinos com bolas de ténis: o percurso de uma revelação da Liga NOS
Hélio Nascimento

Tópicos

Avançado Beto, de 23 anos, nasceu em Lisboa, mas tem também nacionalidade guineense. Deu os primeiros passos nos distritais, fez percurso sereno e esta época já brilha nos relvados da Liga NOS

Numa curta viagem ao passado, Norberto Gomes, Beto, recorda os "amigos para a vida" do bairro do Miradouro e os dois hat tricks com que impressionou no Montijo.

Conte lá como foi a sua infância...
-Os meus pais são guineenses, mas nasci em Lisboa. Tenho duas irmãs e a minha infância foi top! Vivi em Tires, no bairro do Miradouro, perto do Aeródromo e do campo do Tires, com um círculo de amigos que dura até hoje. Foi uma fase divertida, e só de recordar esses momentos dá-me felicidade. São amigos para a vida, mesmo que alguns tenham viajado, mas mantenho o contacto com todos eles. São os primeiros a enviar parabéns e são eles os primeiros a quem respondo.

Foi no União de Tires que tudo começou?
-Comecei no Tires porque queira jogar mais a sério. Na escola safava-me, mas a minha mãe não me deixava jogar...depois lá deixou. Entrei no futebol porque os meus colegas eram federados e eu não, mas achava que era melhor do que eles.

Treinava com bolas de ténis?
-Fiz esse trabalho, penso que primeiro com o míster Lopes, na formação, e depois nos seniores, com Nuno Mourinha. Lembro-me bem, ficávamos noite dentro a fazer treinos de finalização com bolas de ténis. Era para melhorar, e ajudou, mas continuava a falhar...

Mas depois, no Montijo, marcou que se fartou!
-Queria ver em que nível estava. Vinha do Distrital, o Campeonato Nacional de Seniores é mais competitivo, mas nunca pensei que ia jogar logo. Tive essa oportunidade, fiz um hat trick logo na primeira jornada e outro na terceira. Marquei muitos golos [21], é verdade, e comecei a ser mais falado. O grupo era excelente e recordo-me que, mesmo com três meses sem receber, fomos ao Louletano ganhar 1-0. Chegámos a liderar.

Seguiu-se o Portimonense, já sabemos. Foi viver para o Centro de Treinos?
-É verdade. Vivia sozinho, mas não me fazia confusão, tinha o meu espaço e ninguém me chateava. Agora vivo num apartamento. Sozinho. Mas tenho namorada...

Não perca a restante entrevista a Beto: