"Quando o treinador vai a um canal televisivo dizer que os jogadores andaram aos pontapés aos cestos..."

"Quando o treinador vai a um canal televisivo dizer que os jogadores andaram aos pontapés aos cestos..."
Armindo Calção/Cristina Aguiar

Tópicos

ENTREVISTA >> Paulo Meneses, presidente do Paços de Ferreira, recupera o trajeto que culminou com a rescisão do contrato do treinador Filipe Rocha que havia escolhido para o regresso à I Liga. Explica que só fala do assunto, porque houve "quebra de acordo"

decisão de cortar a ligação contratual com Filipe Rocha, ao cabo de cinco jogos, com apenas uma vitória na Taça da Liga.

O que correu mal para trocar de treinador no início da época?
-Quero fazer uma referência ao treinador e não à equipa técnica, porque quando ele [Filipe Rocha] saiu havia um acordo de cavalheiros - por iniciativa do próprio treinador - que resistíssemos à tentação de falar sobre o que se passou. O treinador não se foi embora por uma avaliação técnica, foi por aquilo que entendi ser uma questão de personalidade. Uma vez que o treinador quebrou com este acordo, hoje posso dizer que em boa hora o fiz.

Porquê que diz isso?
-Quando um treinador vai para um canal televisivo dizer que os jogadores andaram aos pontapés aos cestos dentro do balneário - nem cestos temos - e usa factos falsos para justificar o injustificável, a partir desse momento tenho legitimidade de falar sobre ele.

Está a dizer que o treinador ficcionou factos?
-Ele faltou à verdade. Houve desentendimentos mal geridos internamente entre dois jogadores e o treinador, que, a determinada altura, entendeu justificar os comportamentos com dois jogadores com quem nunca tive qualquer problema ao longo da época. A situação foi também com o Ricardo Ribeiro - titular toda a época. Um homem que quis, até ao último dia, que dispensasse o Tanque... então estamos conversados. Nessa altura, tive de tomar decisões.

Como explica a demora de alguns jogadores se imporem?
-Quando começámos a ganhar jogos, o nosso antigo treinador dizia que os jogadores não se conheciam, nem sabiam os nomes uns dos outros, ele próprio não sabia - porque não fazia o trabalho de casa. Justificou, inclusive, o crescimento da equipa com a entrada de Welthon, que nunca foi utilizado - apesar de ter sido uma escolha minha -, e de outros jogadores. Acho que estamos a dar demasia importância a esse treinador, quando na realidade ele não tem...