"Paulo Sérgio conseguiu o objetivo. Se calhar, na posição dele, faria o mesmo"

"Paulo Sérgio conseguiu o objetivo. Se calhar, na posição dele, faria o mesmo"

Declarações de César Peixoto, treinador do Paços de Ferreira, antes do encontro com o Tondela, referente à 32ª jornada da Liga Bwin

O treinador do Paços de Ferreira disse hoje ser necessário igualar em campo a atitude do Tondela para conseguir vencer e manter em aberto o objetivo pontual da equipa, na 32.ª jornada da Liga Bwin, na segunda-feira.

"Eles vêm pressionados e completamente focados e agressivos. Se conseguirmos igualar a atitude e a agressividade nos duelos do Tondela, depois, a jogar em casa, com o apoio dos nossos adeptos, e a confiança que tenho na qualidade dos nossos jogadores, poderemos ganhar", disse César Peixoto.

Na conferência de antevisão, o técnico pacense insistiu na ideia de um Tondela determinado para conquistar os três pontos no encerramento da jornada, tendo em conta a natureza decisiva do jogo, mas prometeu um Paços igualmente focado.

"Estamos confortáveis, mas temos um objetivo ainda pontual que queremos atingir, uma meta interna que não irei naturalmente revelar, e sinto a equipa entusiasmada e muito focada até ao final. A pressão do Tondela é diferente. Sabemos que vamos apanhar um Tondela forte, com vontade enorme de vir cá vencer. Vai ser uma final para eles. Será um Tondela pressionado, mas não vou deixar a minha equipa relaxar", sublinhou.

O técnico pacense reconheceu a dureza e dificuldade do encontro entre duas equipas que gostam de ter bola, num jogo em que "o Paços vai querer retirar-lhes a bola" e terá de estar atento aos "jogadores (do Tondela) rápidos na frente, que podem fazer mossa".

Sobre as opções para o jogo, o técnico pacense lembrou que as oportunidades dadas resultam daquilo que os jogadores fazem nos treinos e das necessidades da equipa, sejam elas mais ou menos populares, referindo-se, depois, em concreto, ao inquérito de averiguações aberto ao Portimonense, depois da goleada (7-0) sofrida com o FC Porto, no Dragão.

"[O Paulo Sérgio] Tinha um objetivo para concretizar e conseguiu. Se calhar, na posição dele, faria o mesmo. Se tiver de tomar decisões impopulares, também as irei tomar. Empolam-se muito situações que são complicadas, porque os treinadores têm sempre as malas à porta e, sinceramente, não acredito que nenhum treinador monte uma equipa para perder. O Paulo Sérgio tem a minha solidariedade", referiu.

Aos lesionados de longa duração (Jorge Silva, Flávio Ramos, João Vigário e Koffi), juntam-se Gaitán e Maracás, também devido a problemas físicos, e ainda Matchoi, castigado.

O Paços de Ferreira, num tranquilo oitavo lugar, com 37 pontos, defronta o aflito Tondela, em 17.º e penúltimo lugar, em zona de descida, com 26, no estádio Capital do Móvel, na segunda-feira, às 20h15, num jogo que terá arbitragem de Fábio Veríssimo, da associação de Leiria.