Paços de Ferreira responde ao Sindicato: " É completamente falso"

Paços de Ferreira responde ao Sindicato: " É completamente falso"

SDUQ pacense refuta os argumentos referidos no comunicado do Sindicato dos Jogadores de Futebol Profissional, a alegar a existência de um contrato celebrado com Caetano.

A direção do Paços de Ferreira acusou hoje o Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol (SJPF) de mentir sobre um alegado contrato com Rui Caetano, prometendo "exigir em sede própria a clarificação de tudo quanto alega".

Num comunicado de sete pontos, a direção presidida por Paulo Meneses diz ser "completamente falso que o presidente da direção tivesse convidado o atleta Rui Caetano para celebrar qualquer contrato com o clube".

Nega ainda que "o seu presidente, ou a sua direção, em momento algum, tenham negociado com o atleta quaisquer termos ou condições do contrato", ou que o Paços "tenha assumido qualquer vínculo que ligasse o atleta ao clube".

"A direção, e bem assim o seu presidente, exigirão em sede própria a clarificação de tudo quanto o que [SJPF] alega, e bem assim, todas as inverdades que resultam do comunicado, cujos factos já perfeitamente clarificados entre as partes envolvidas em momento anterior", pode ler-se no documento.

Num tom mais duro, a direção pacense acusa o sindicato de não ter respondido ao pedido de uma reunião, acreditando que "tudo estaria perfeitamente esclarecido com o atleta e o seu sindicato".

A direção do emblema pacense fala ainda em "tentativa de protagonismo" do organismo presidido por Joaquim Evangelista, lamentando que "venha agora defender o indefensável, ao invés de se preocupar com a defesa do interesse efetivo dos seus associados contra salários em atraso, contratos paralelos e outras situações para as quais deveria canalizar as suas atenções".

Leia na íntegra o comunicado

1. É completamente falso que o Presidente da Direção tivesse convidado o atleta Rui Caetano para celebrar qualquer contrato com o clube;
2. É completamente falso que o seu Presidente, ou a sua Direção, em momento algum, tenham negociado com o atleta quaisquer termos ou condições do contrato;
3. É completamente falso que o Futebol Clube de Paços de Ferreira tenha assumido através do seu Presidente, ou da sua Direção, qualquer vínculo que ligasse o atleta ao clube;
4. A Direção, e bem assim o seu Presidente, exigirão em sede própria a clarificação de tudo quanto o que alega, e bem assim, todas as inverdades que resultam do comunicado, cujos factos foram já perfeitamente clarificados entre as partes envolvidas em momento anterior à apresentada;
5. Julgava o Futebol Clube de Paços de Ferreira, e a sua Direção, que tudo estaria perfeitamente esclarecido com o atleta e o seu sindicato, e para tanto teve o cuidado de solicitar uma reunião à qual o sindicato não se dignou sequer responder;
6. Lamenta-se que o sindicato, numa tentativa de protagonismo, venha agora defender o indefensável ao invés de se preocupar com a defesa do interesse efetivo dos seus associados contra salários em atraso, contratos paralelos e outras situações para as quais deveria canalizar as suas atenções;
7. Todas as Direções do Futebol Clube de Paços de Ferreira estão, e estiveram, no futebol com sacrifício próprio das suas vidas pessoais e profissionais, sem quaisquer interesses que não seja a dignificação da instituição. E por essa razão, recusam aceitar quaisquer críticas que tenham a sua origem em pessoas, ou entidades, que contrariam estes princípios.
Em sede própria, e com a dignidade que nos deve merecer todo o bom nome do Futebol Clube de Paços de Ferreira, teremos com certeza a oportunidade de fazer valer a verdade dos factos aqui aduzidos.
Quanto à anunciada paixão pelo clube por parte do atleta, a direção do Futebol Clube de Paços de Ferreira, por respeito à sua ligação a esta instituição prefere, neste momento, não tecer quaisquer comentários mas que não deixarão de ser objeto de esclarecimento em momento oportuno.