Jorge Simão e o nulo ante o Braga: "Tem de se aceitar..."

Jorge Simão e o nulo ante o Braga: "Tem de se aceitar..."

Técnico do Paços de Ferreira considerou o empate a zero, na receção ao Braga, como justo, assumiu maior apreço pela exibição na primeira parte e relativizou a escolha do árbitro francês

Sensação: "Terei a tendência de pensar que o resultado é positivo porque o Braga criou duas situações nos descontos de um contra um, sendo as melhores oportunidades deles. Temos essa memória recente e ficamos com a tendência em pensar que foi bom em não sofrer esse eventual golo. Gostei muito mais da segunda parte, porque conseguimos manter uma capacidade de pressão durante mais tempo, aproximamo-nos mais da baliza, fizemos mais remates, mas na primeira tivemos as melhores oportunidades, curiosamente. O empate tem de se aceitar."

Patamar da equipa: "Após o primeiro ciclo de jogos desta época, fiz um balanço positivo do mesmo até pela vitória conquistada em Portimão. Lembro-me de outros jogos, de campeonato e europeus, em que fomos bons, especialmente em casa. Fiquei muito satisfeito porque, além da qualidade enquanto equipa, temos capacidade de sacrifício e de superação."

Atuação do árbitro: "Habituei-me, em função de sofrer na pele, em relegar para segundo plano a arbitragem. É algo que não podemos controlar. Não sou ninguém para opinar sobre este intercâmbio entre as federações portuguesa e francesa. Ao abrir esta porta, já não dá para fecha-a e haverá mais situações."