Galeno desejado pelo Paços de Ferreira

Galeno desejado pelo Paços de Ferreira

Galeno, avançado do FC Porto B, é desejado na Mata Real, e Diogo Gonçalves, atacante do Benfica B, também tem sido colocado na rota do Capital do Móvel

Os dias do Paços de Ferreira são ainda de contactos para acelerar o processo de oficialização do novo treinador, depois da inesperada saída de Petit, contestado pelos adeptos após o empate (1-1) com o Portimonense e ao cabo de oito jogos com apenas uma vitória e dois empates. João Henriques continua a ser apontado como o principal candidato ao lugar. O treinador, que começou a época como adjunto no Leixões, do segundo escalão, não tem experiência na I Liga - como sucedia com alguns dos bons treinadores que se estrearam a este nível na Mata Real, nomeadamente Rui Vitória, Paulo Fonseca e Paulo Sérgio.

A par da negociação da nova equipa técnica, que poderá ser hoje anunciada, os responsáveis do Paços de Ferreira estão ainda empenhados em acertar com o futuro treinador os reforços que haviam já sido definidos como prioritários por Petit. Obter jogadores por empréstimo é uma opção, embora a concorrência aperte. Galeno, avançado do FC Porto B, é desejado na Mata Real, e Diogo Gonçalves, atacante do Benfica B, também tem sido colocado na rota do Capital do Móvel. A estes dois nomes junta-se o de Rafael Assis, médio brasileiro pouco utilizado pelo Braga. A intenção dos responsáveis pacenses é, idealmente, encerrar o dossiê do mercado até ao dia 20, a fim de dar à equipa a estabilidade de que necessita para se concentrar na recuperação classificativa. Até lá, porém, poderá haver outra baixa no futebol profissional: muito contestado pelos adeptos, tal como Petit, o diretor desportivo Marco Abreu foi interpelado de forma violenta por alguns indivíduos após o jogo com o Portimonense e fez saber que pretende deixar a Mata Real. No entanto, ainda não o fez. Continua a ser funcionário do clube e tudo indica que poderá não ter, realmente, intenção de abandonar o cargo, mas apenas de ver reforçado o apoio interno - incondicional na cúpula.