César Peixoto rende tanto fora como em casa

César Peixoto rende tanto fora como em casa

De 18 de dezembro a 20 de março, a equipa sob o comando do sucessor de Jorge Simão acumulou 22 pontos e tem a permanência bem encaminhada.

César Peixoto foi a escolha da Direção de Paulo Meneses para suceder a Jorge Simão, em meados de dezembro, uma decisão que não foi consensual e até motivou a contestação numa franja significativa de sócios e adeptos. Nessa altura, colocava-se em dúvida as credenciais do treinador na Liga Bwin. Tanto que o presidente do Paços de Ferreira recordou esse facto, anteontem, no anúncio da renovação do contrato do técnico. "Quero enaltecer, além da qualidade técnica, a qualidade humana que veio dar a este clube, curiosamente, talvez, a equipa técnica mais contestada nos últimos anos", disse Paulo Meneses.

Apesar de algum ceticismo, César Peixoto agarrou na equipa e não podia ter melhor estreia com uma vitória fora em Tondela, seguida de uma vitória caseira diante do Santa Clara, dando uma golfada de ar fresco na classificação da altura. De 18 de dezembro a 20 de março, o Paços de Ferreira de César Peixoto acumulou 22 pontos, num total de 13 jornadas. Diga-se que o rendimento da equipa foi equivalente tanto no Estádio Capital do Móvel (11 pontos) como na condição de visitante (11 pontos). Uma bela mediana pontual num percurso que só conheceu três derrotas (Benfica, Braga e FC Porto). Jorge Simão completou 14 jogos e amealhou apenas 11 pontos, ou seja metade dos do seu sucessor em 13 jogos.

Nas últimas cinco jornadas, o Paços de Ferreira conquistou quatro vitórias e só perdeu em casa contra o líder FC Porto. Este trajeto deu razão à aposta nesta equipa técnica, que assinara até ao final da época, com outra de opção.

A vitória por 2-1 sobre o aflito Moreirense colocou o Paços de Ferreira mais certo na permanência e abriu um novo horizonte com vista para um lugar europeu, dada a proximidade (três pontos) ao o V. Guimarães, em sexto - o acesso por esta via será possível caso o Sporting ou FC Porto vençam a Taça de Portugal. "Se pudermos, vamos tentar chatear. O objetivo é querer sempre melhor. Queremos ter mais bola, dominar mais tempo. No final fazemos as contas", disse César Peixoto, após o encontro com o Moreirense.

A caminhada, a partir de agora, será tranquila e uma vez garantida a continuidade do treinador, o planeamento da próxima temporada pacense arrancará com toda a força.