César Peixoto: o penálti de Paulinho que "deixa muita dúvida" e "a porrada forte" que Gaitán levou

César Peixoto: o penálti de Paulinho que "deixa muita dúvida" e "a porrada forte" que Gaitán levou

César Peixoto, treinador do Paços de Ferreira, fez a antevisão ao jogo (sábado, 15h30) frente ao Marítimo, em casa. Uma partida que conta para a ronda 29 da Liga Bwin.

Rescaldo da semana: "Foi uma semana boa de trabalho, com a equipa motivada, sabendo que acabámos por fazer um bom jogo. Jogar em Alvalade nunca é fácil. Em muitos momentos, dominámos o jogo, faltou-nos ser mais incisivos na frente, mas isso são coisas que vamos trabalhando e mérito também da defensiva do Sporting, porque sempre que conseguimos chegar lá com alguma facilidade, foi resolvendo os problemas. Mas, temos a equipa motivada, a crescer no que precisamos crescer, com bom espírito de grupo e vontade de que chegue o próximo jogo, para tentarmos voltar às vitórias."

Ausência de remates à baliza, em Alvalade: "Nós chegámos lá muitas vezes e foi mesmo a tomada de decisão no último terço e a grande organização defensiva da última linha do Sporting; não diria da primeira fase de pressão, mas sim da última linha, ou seja, chegamos lá muitas vezes, às imediações da área; depois, faltou o último passe, o cruzamento, o remate. Claro que é um aspeto que analisamos do jogo anterior e vamos trabalhar em cima disso, mas tínhamos sido sempre uma equipa com uma média de dois golos por jogo, ou seja, fomos fazendo sempre golos, temos sido agressivos na frente e vamos sê-lo. Foi mais mérito do adversário do que demérito nosso. Faltou-nos isso para sermos mais incisivos e, se calhar, até vir de lá com outro resultado, mas, a verdade é que a equipa teve um comportamento fantástico, sabe o que tem de melhorar e vamos estar fortes."

Ao rever as imagens, que sensação lhe deixou o lance do penálti de Paulinho: "Essa pergunta é facilmente respondida por toda a gente que viu o jogo. Facilmente se consegue perceber que é um lance que deixa muita dúvida. Agora, já passou, temos é de olhar em frente e continuar a nossa caminhada. Gostei muito mesmo da nossa postura, da atitude da equipa. Disse-o no final e volto a dizê-lo: tenho muito orgulho do que lá fizemos, com exceção do último terço, em que podíamos ter sido agressivos, mas a verdade é que o Sporting teve muitos problemas, já há muito tempo já não era assobiado em Alvalade e foi, porque nós, claramente, tivemos momentos muito bons com bola, sempre muito bem organizados, com a pressão sempre no timing certo, a pressionar alto, muitas vezes e isso é que nos traz o alento para continuar a trabalhar e a acreditar no nosso trabalho. O que ficou para trás, nesse aspeto, acho que está à vista de toda a gente, não vale a pena um comentário da minha parte."

Preferia jogar na Madeira, nesta altura? "O Marítimo feito tido mais pontos fora, é verdade, mas eu gosto sempre de jogar aqui na nossa casa. Temos sido muito apoiados, o clube tem aqui uma dinâmica para vir mais gente ainda, neste jogo. É importante que os nossos adeptos venham, porque gostamos de os ter cá, gostamos que venham e criem aqui um inferno amarelo. Vai ser importante, porque vai ser um jogo difícil. O Marítimo tem feito um bom trajeto no campeonato, tem os mesmos pontos que nós. Como eu disso, tem feito mais pontos fora do que em casa. É uma equipa com algumas dinâmicas interessantes, que normalmente é agressiva na frente, quer dominar o jogo, mas fora, por vezes, também fica com um bloco médio/baixo para, depois, sair em transição. Tem bons jogadores, individualmente, ou seja, estou à espera de um jogo muito difícil para nós, mas também vamos estar preparados e, jogando em casa, queremos voltar às vitórias, dar alegria aos nossos adeptos. Temos sido fortes, aqui em casa, com exceção do jogo com o FC Porto. Queremos voltar às vitórias implementar o nosso jogo, dominar, ser pró-ativos para conseguirmos os três pontos, sabendo que não vai ser um jogo fácil."

Despenalização de Antunes e recuperação de Gaitán: "Antunes não foi despenalizado, mas temos o Bastos, que já uma vez o substituiu e vai fazê-lo de novo. Acredito muito nele. Tem trabalhado sempre, fantasticamente bem. É dos que mais trabalham. Às vezes, vamos conferir o GPS e ele é dos que está mais em cima. Merece esta oportunidade, tem toda a nossa confiança. É um jogador jovem, da formação, em quem temos apostado e vamos voltar a apostar. Poderia estar a esconder quem ia jogar, mas não o faço. Ele merece mesmo esta oportunidade. Espero que, desta vez, lhe corra melhor e que a agarre, porque tem muito caráter, qualidade, de quem todo o grupo gosta. Todos vão ajuda-lo e vai correr bem. Quanto ao Nico, foi à vista de todos, levou uma porrada forte num joelho, tem ali um problemazinho que o vai fazer parar. Não sabemos por quanto tempo, ainda, mas a porrada foi forte e está ali com a mazela."

Em que medida a ausência de Gaitán pode condicionar a estratégia: "O Nico é um jogador superlativo na nossa equipa. Tem sido importante, nos momentos em que esteve dentro do campo, mas a equipa também suportou bem o tempo para ele chegar bem fisicamente, para depois jogar. Fomos pontuando sem o Nico, vamos continuar a pontuar sem o Nico, com certeza. Agora, não estamos tão fortes, é menos uma opção, um jogador diferente no último terço, onde pode decidir e ajudar a desbloquear algum bloco mais compacto ou mais baixo, diria. Criámos opções, como fomos criando, até então. Fomos perdendo alguns e criando opções e vamos estar fortes, disso não tenho dúvida alguma. Há o Nico e há o coletivo. E o coletivo suporta a falha seja de quem for, já o provámos. A equipa vai estar forte e dar uma boa resposta."