Sporting quer sentar árbitros no Tribunal

Sporting quer sentar árbitros no Tribunal

Clube de Alvalade vai averiguar quem prejudicou a equipa de futebol, para avançar com ações e adianta também que irá contactar a UEFA e a FIFA para expor a situação.

Numa atitude sem precedentes na história do futebol português, o Sporting anunciou esta sexta-feira, através de um comunicado emitido pela SAD, que vai levar a tribunal os árbitros que considera terem prejudicado a equipa, tanto em 2013 como na presente época.

"A Sporting SAD informa que deu instruções aos seus serviços jurídicos para procederem litigiosamente, em sede própria, contra todos os responsáveis pelas arbitragens que conduziram no ano passado a que o Sporting ficasse fora das competições europeias e que este ano são responsáveis pela retirada de, pelo menos, 7 pontos no Campeonato Nacional, o que associado à atribuição indevida de pontos aos adversários do Sporting justifica a atual posição do Clube na tabela classificativa. As Taças de Portugal e da Liga também serão alvo de análise", começa por referir o documento.

"Serão intentadas, nos termos da Lei, todas as ações admissíveis exigindo as compensações devidas a todos os organismos com responsabilidades nas situações verificadas, seja por intervenção direta em matéria de arbitragem, seja por omissões de tutela, não se excluindo quem quer que seja, incluindo os próprios árbitros, o Conselho de Arbitragem e a Federação Portuguesa de Futebol".

O Sporting refere ainda que vai contactar os organismos internacionais que superintendem o futebol:

"A Sporting SAD informa ainda que vai atuar junto da UEFA e da FIFA, entidades internacionais que superintendem o futebol, dando conta da atual situação da arbitragem em Portugal, que está na origem da atuação litigiosa iniciada, participando inclusivamente das incorretas atuações dos Conselhos Disciplinar e de Justiça.

Está igualmente em estudo, a manter-se a falta de bom senso na nomeação dos árbitros, a possibilidade de, nestes casos, solicitar uma intervenção no sentido de a arbitragem passar a ser feita por árbitros estrangeiros".