Premium Retoma da I Liga a 3 de junho esteve em risco: confira os motivos

Retoma da I Liga a 3 de junho esteve em risco: confira os motivos
Hugo Sousa/Sérgio André/Melo Rosa/André Morais

Tópicos

A acertar agulhas desde março, com múltiplas reuniões, a Liga viu por momentos o plano de regressar já no dia 3 em causa, porque, sem a assinatura do Marítimo, o FC Porto temia recomeçar.

O comunicado oficial da Liga a dar conta da aprovação do plano de retoma foi enviado na sexta-feira a horas pouco comuns (meia-noite certinha), talvez porque tenha sido necessário algum tempo para recuperar o fôlego: o último dia de reuniões entre clubes, ao que apurou O JOGO, foi tenso, e não apenas pela conhecida intransigência do Marítimo em não aprovar a implementação das cinco substituições antes de a alteração ser ratificada em Assembleia Geral (AG) da Liga, marcada para dia 9, já depois da retoma do futebol.