Pepe e Coates levam guia na mão: curiosidades sobre o FC Porto-Sporting

Pepe e Coates levam guia na mão: curiosidades sobre o FC Porto-Sporting
Duarte Tornesi

Tópicos

O central do FC Porto venceu quatro dos 13 jogos frente aos leões, enquanto o capitão do Sporting somou três triunfos em 12 clássicos, registo compensado com dois títulos em confronto direto

Indiscutíveis nos onzes de Sérgio Conceição e Rúben Amorim, Pepe e Coates vão hoje liderar os setores recuados de FC Porto e Sporting, respetivamente, e ambos terão a oportunidade de reencontrar o rival que mais vezes enfrentaram no futebol português.

Figuras incontornáveis nos clássicos contemporâneos, os dois jogadores têm, em conjunto, uma rodagem de 25 jogos contra o respetivo rival e um "livro" cheio de histórias que vai hoje conhecer mais um capítulo.

Contratado em 2002 pelo Marítimo, Pepe teve um forte impacto pelos madeirenses e, nesse mesmo ano, chegou mesmo a treinar à experiência no Sporting: não assinou contrato e regressou ao Funchal. Nos Barreiros, o brasileiro naturalizado português fez os primeiros quatro jogos frente aos leões e, posteriormente, nas suas duas passagens pelo FC Porto, somou mais nove. No saldo total de 13 jogos contra o Sporting - mais três do que frente ao Benfica -, Pepe alcançou quatro vitórias, cinco empates e quatro derrotas, sem qualquer golo marcado à turma verde e branca.

Promovido a capitão do Sporting desde a saída de Bruno Fernandes para o Manchester United, Coates já disputou 12 clássicos frente ao FC Porto desde a chegada a Alvalade e somou três vitórias, cinco empates e quatro derrotas, com um golo marcado aos dragões. Contudo, a luta à parte entre os centrais pende para o lado do uruguaio ao nível de troféus conquistados em confronto direto.

Na época transata, Coates venceu a Taça da Liga e a Taça de Portugal ao FC Porto - algo que Pepe nunca conseguiu fazer frente ao Sporting - em duas finais decididas no desempate por penáltis. Na primeira delas, em Braga, Coates falhou a sua cobrança, mas a defesa de Renan ao remate de Felipe ofuscou o erro do uruguaio. Já no Jamor, Pepe falhou um dos penáltis na derrota dos dragões (7-6), enquanto o uruguaio redimiu-se da falha em Braga ao acertar na sua cobrança.

Professores num relvado repleto de aprendizes

Habituados às andanças dos clássicos, Pepe e Coates representam duas das exceções à regra de um clássico que será marcado por novidades. Com 15 anos de experiência em jogos entre o FC Porto e o Sporting - disputou o primeiro em 2005 -, o internacional português terá a seu lado o estreante Fábio Vieira, bem como outros companheiros com pouca rodagem de clássicos: Marchesín, Mbemba e Díaz, todos com um, e Manafá, com dois jogos frente aos leões.

O caso de Coates é ainda mais extremo, pois arrisca-se a entrar em campo com cinco companheiros que nunca enfrentaram o FC Porto: Eduardo Quaresma, Nuno Mendes, Matheus Nunes, Jovane e Sporar. Com 198 jogos disputados pelo Sporting, o uruguaio é único do provável onze que é centenário pelos leões. Já Pepe (144 jogos) vai, ao que tudo indica, repartir o onze com outros cinco centenários: Danilo (195), Alex Telles (188), Marega (143), Otávio (142) e Soares (137).