Videoárbitro: como vai funcionar?

Videoárbitro: como vai funcionar?

Sistema entra em vigor já na próxima época, em todos os jogos da I Liga

A Federação Portuguesa de Futebol vai colocar em funcionamento o videoárbitro já na época 2017/18, em cada um dos 306 jogos do campeonato. O sistema vai custar 612 mil euros, num investimento que pode chegar ao milhão de euros, com a conceção do centro de monitorização na Cidade do Futebol.

Em termos técnicos, o videoárbitro vai funcionar com um delay de 1,7 segundos, o tempo que separa a ação do campo e a transmissão televisiva. Para comunicar com o árbitro, a equipa de apoio deverá manter premido um botão, num sistema que já foi alterado na fase de testes e que, de início, chegou a gerar alguns problemas de comunicação.

Quanto às áreas de intervenção, o Internacional Football Association Board quer que os árbitros no terreno recebam ajuda em quatro pontos:

1. Lances de penálti: existência de contacto dentro da área, falta cometida dentro ou fora da área

2. Situações de expulsão: conduta antidesportiva que tenha escapado ao árbitro de campo

3. Situações de golo: se a bola ultrapassou a linha, se houve infração antes do golo, se este foi precedido de posição irregular.

4. Má identificação: árbitro admoestar o jogador errado.