Dragões vencem e pressionam Benfica

Dragões vencem e pressionam Benfica

Na ressaca da derrota na final da Taça da Liga, Jackson pôs fim a um ciclo de seis jogos sem marcar e Fernando marcou pela primeira vez esta época. Moreirense continua abaixo da linha de água

O colombiano Jackson Martinez regressou este sábado aos golos e o FC Porto venceu o Moreirense, por 3-0, mantendo o líder Benfica em alerta, na véspera do dérbi com o Sporting, na 26.ª jornada da I Liga.

Na ressaca da derrota na final da Taça da Liga, com o Braga, os golos de Jackson (34 e 55 minutos) e de Fernando (52) no Estádio Comendador Joaquim Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, mantiveram FC Porto na corrida ao título, com o Benfica provisoriamente a um ponto.

Num jogo em que se jogavam os "opostos" - um FC Porto, segundo classificado, à procura de uma vitória que o mantivesse na rota da revalidação do título e um Moreirense, 15.º e penúltimo classificado, a lutar pela fuga à despromoção -, a superioridade dos azuis e brancos foi evidente, ainda que os minhotos tenham demorado a deixar o Dragão mostrar a sua garra.

Com Atsu a ser a grande novidade do lado dos portistas, rendendo Defour, e com Vinícius a regressar, após castigo, à equipa orientada por Augusto Inácio, o FC Porto demorou mais de meia hora a transpor a barreira defensiva dos minhotos, que, até ai, tinham apostado e dado cartas no contra-ataque.

O primeiro golo foi assinado por Jackson Martinez, após passe de Danilo, aos 34 minutos. O colombiano estava inspirado e coroou da melhor forma essa inspiração ao marcar dois golos num jogo, após seis jogos de "jejum".

Antes, nota para as grandes defesas do guardião Ricardo Ribeiro - que voltou à titularidade depois de a ter perdido, em janeiro, para o brasileiro Ricardo Andrade, após uma derrota por 5-0 frente ao Setúbal, no Bonfim (14.ª jornada) - que travou um remate de Fernando, aos 18 minutos, e um de James, aos 21. Do lado do Moreirense, Ghilas, o melhor goleador dos minhotos, que já tinha marcado a Benfica e Sporting, passou por dois centrais, mas a bola acabou nas mãos de Helton (23 minutos).

Antes do intervalo, Fábio Espinho ainda podia ter empatado, com um remate muito forte da direita, mas Helton estava no caminho da bola. (44 minutos).

Já nos descontos, o ganês Atsu reclamou grande penalidade mas o juiz madeirense Marco Ferreiro deixou seguir o lance e, na jogada seguinte, Moutinho rematou muito forte para um voo acrobático de Ricardo Ribeiro (45+1).

Na segunda parte, em três minutos, o FC Porto desenhou a vitória acabando com possíveis equívocos. Primeiro foi Fernando quem marcou, de recarga, e num lance "infeliz" para o guardião do Moreirense que teve de defender para a frente um mau alívio da sua defesa (52 minutos).

Depois Jackson bisou, após assistência de Lucho, aos 55 minutos.

Com o terceiro golo dos azuis e brancos, o ritmo de jogo diminuiu e ambas as equipas pareceram adormecidas. Nota para mais umas quantas excelentes defesas de Ricardo Ribeiro: remates de Lucho (72), de Castro (79) e de Danilo (89). Do outro lado do terreno, Ghilas cabeceou para defesa de Helton (79 minutos), depois de Rafael Lopes também ter tentado a sorte com um cabeceamento por cima da barra (76).

A melhor oportunidade dos minhotos para reduzir a desvantagem aconteceu aos 85 minutos, com Ghilas a isolar-se frente a Helton, mas o guardião portista estudou o franco-argelino e evitou o golo de honra dos locais.