Consultor do CA: penálti em Guimarães bem marcado, em Tondela e Açores não

Consultor do CA: penálti em Guimarães bem marcado, em Tondela e Açores não
Redação

Tópicos

Conselho de Arbitragem divulgou um relatório do consultor David Elleray, que analisou alguns dos lances polémicos da jornada 21 da Liga NOS.

O Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol divulgou esta quinta-feira um relatório avançado pelo consultor independente David Elleray, o qual analisou a ação do VAR em alguns dos lances polémicos que marcaram a ronda anterior do campeonato.

Um desses momentos dizem respeito à expulsão de Rúben Fernandes logo nos instantes iniciais do encontro entre Tondela e Gil Vicente, que deixou a equipa de Barcelos com menos um praticamente durante todo o encontro. "Devia ter havido intervenção do VAR uma vez que o árbitro cometeu um claro e óbvio erro em assinalar pontapé de penálti e expulsar o defesa", pode ler-se. "As imagens mostram que no momento do contacto o braço do defesa estava junto ao corpo, não aumentando a volumetria do corpo de forma nãonatural; não houve movimento do braço em direção à bola. Como tal, não houve infração de mão", justifica.

Nos Açores, no triunfo do Santa Clara frente ao Paços de Ferreira, por 3-0, foi assinalada uma grande penalidade por Luther Singh ter, alegadamente, jogado a bola com o braço/mão. Elleray considera que a decisão final foi errada, depois de inicialmente ter sido indicado pontapé de canto. "Intervenção incorreta do VAR, uma vez que o árbitro não cometeu nenhum claro e óbvio erro em não assinalar pontapé de penálti. A decisão final de assinalar pontapé de penálti foi incorreta", indica sobre o lance. "As imagens não mostram qualquer evidência que a bola teve contacto com a mão/braço do defesa.Mesmo que houvesse contacto, a mão/braço estava junto ao corpo não aumentando a volumetria do corpo de forma não natural", sustenta.

Por fim, é de destacar mais uma grande penalidade, agora no V. Guimarães-Boavista. Em causa o lance que envolveu Ricardo Mangas, defesa do clube do Bessa. "As imagens mostram que o defesa moveu o seu braço direito para cima e afastado do corpo na direção da bola. Intervenção correta do VAR uma vez que o árbitro cometeu um claro e óbvio erro em não assinalar pontapé de penálti", pode ler-se. André André acabou por converter o castigo máximo.