Adilson trama Cajuda e companhia

Avançado marcou o único golo da vitória do Marítimo frente ao Olhanense. Com três jogos realizados, Cajuda continua sem conseguir vencer.

Um golo solitário de Adilson, aos 10 minutos, permitiu ao Marítimo vencer o Olhanense e somar o segundo triunfo em casa esta temporada. Com várias ausências, por diversos motivos, o Marítimo apresentou como grande novidade no onze o avançado Kukula, que fez a sua estreia absoluta na I Liga, com o jovem Marakis a manter a titularidade no meio campo. No eixo defensivo, Pedro Martins estreou a dupla João Guilherme/Igor Rossi, face à ausência dos castigados Roberge e Márcio Rozário.

No Olhanense, Luís Filipe regressou à equipa, após uma ausência prolongada devido a lesão, tendo o defesa Nuno Reis sido a outra novidade apresentada por Manuel Cajuda nos Barreiros.

Desde cedo o Marítimo tomou conta do jogo e, depois de Rúben Ferreira ter ameaçado a baliza algarvia, com um remate à malha lateral, logo aos dois minutos, Adilson fez o 1-0, num cabeceamento aos 10, dando sequência a um cruzamento de Danilo Dias. O Olhanense pareceu manietado e revelou sérias dificuldades em sair do seu meio campo, com o primeiro remate dos algarvios à baliza do Marítimo a acontecer apenas aos 31 minutos, num livre de Jander que saiu muito por cima da baliza.

A formação de Olhão despertou para o jogo após a primeira meia-hora e, aos 37 minutos, Yontcha teve a oportunidade de empatar, num remate na área que Ricardo Ferreira defendeu, após um brinde defensivo dos ilhéus. Mais tarde, aos 44 minutos, Danilo Dias teve nos pés a oportunidade de fazer o 2-0, mas o remate, frouxo, não surtiu o efeito desejado.

A segunda parte iniciou-se com o Marítimo novamente mais ofensivo do que o adversário. Um remate de David Simão, aos 54 minutos, exemplificou a disposição e inconformismo dos madeirenses, mas a bola rasou o travessão da baliza de Bracali. Aos 67, o estreante Kukula falhou por pouco o segundo golo do Marítimo, após uma assistência de Adilson, atirando por cima, quando estava isolado.

Foi o Marítimo que aos 76 minutos poderia ter aumentado a vantagem, quando Kukula deixou dois adversários no caminho, rematou, mas Bracali, com uma excelente intervenção, negou o golo, naquela que foi a última grande oportunidade de golo do jogo.

Manuel Cajuda continua sem conseguir vencer no comando do Olhanense, depois de ter empatado a zero com o Moreirense (Taça da Liga) e perdido em casa com o Sporting (I Liga).

Jogo no Estádio dos Barreiros, no Funchal.

Marítimo - Olhanense, 1-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcador:

1-0, Adilson, 10 minutos.

Equipas

- Marítimo: Ricardo Ferreira, João Diogo, João Guilherme, Igor Rossi, Rúben Ferreira, Marakis (Rodrigo António, 81), Rafael Miranda, David Simão, Adilson, Danilo Dias (Luís Olim, 87) e Kukula (Artur, 90+2).

(Suplentes: José Sá, Briguel, Luís Olim, Rodrigo António, Rúben Brígido, Ytalo e Artur).

Treinador: Pedro Martins.

- Olhanense: Bracali, Luís Filipe, Nuno Reis, André Micael, D'Onofrio, Vasco Fernandes, Jander, Nuno Piloto (Evandro Brandão, 46), Rui Duarte (Djalmir, 74), Tiago Targino e Yontcha.

(Suplentes: Ricardo, Maurício, Abdi, Evandro Brandão, Pedro Paz, Rafael e Djalmir).

Treinador: Manuel Cajuda.

Árbitro: Rui Silva (Vila Real).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Marakis (46), Kukula (67), André Micael (70), Yontcha (79) e Rafael Miranda (82).

Assistência: cerca de 3.500 espetadores.