Luís Freire expulso no Paços-Nacional: "Não o ofendi, nem me manifestei de uma forma efusiva"

Luís Freire expulso no Paços-Nacional: "Não o ofendi, nem me manifestei de uma forma efusiva"

Declarações de Luís Freire (treinador do Nacional) após o jogo Paços de Ferreira - Nacional, que terminou com a vitória dos pacenses, por 2-1, da 22.ª jornada da I Liga

Sobre o jogo: "O jogo começa dividido, mas é desbloqueado num grande golo do Paços, numa bola pouco controlada da nossa parte. Isso deu ascendente ao adversário. Custou-nos a responder e, passado pouco tempo, sofremos o segundo, numa bola em que tínhamos mais obrigações de controlar."

Golo tardio: "Quando estamos a perder 2-0 aos 30 minutos, num jogo fora contra o Paços de Ferreira, torna-se difícil, mas fomos tentando até ao intervalo e começámos a levar o Paços para trás.Na segunda parte quisemos ir mais à área e acredito que, se o nosso golo tivesse aparecido mais cedo, podíamos ter ganhado mais ânimo para tentar a igualdade."

Expulso: "Conto estar no banco contra o Marítimo. Não disse nada de especial, apenas referi que na primeira parte o árbitro teve um critério mais largo. Não o ofendi, nem me manifestei de uma forma efusiva. Não falo da arbitragem, vou deixar essa análise para vocês".