João de Deus: "Conseguir vencer num campo difícil é um alento"

João de Deus: "Conseguir vencer num campo difícil é um alento"

O treinador do Nacional, João de Deus, abordou a vitória sobre o Estoril

Lesão de Cádiz: "O Cádiz parece ter uma fratura do quinto metatarso. A confirmar-se é uma baixa importante para nós."

Importância da vitória: "É evidente que para uma equipa tão ávida de pontos, como nós, conseguir vencer num campo difícil e contra um adversário em crescendo, e da forma que o fizemos, é um alento. O fundamental é sermos capazes de perceber que se o campeonato acabasse hoje nós descíamos de divisão e que por isso há um longo caminho pela frente, com batalhas terríveis. Temos de continuar a evoluir e não ficar deslumbrados com o resultado de hoje."

Evolução da equipa: "Já vi a equipa com mais ideias, fruto de mais tempo de trabalho que tive para trabalhar com este lote de jogadores. Este tipo de questão leva-nos a poder estabelecer relações entre passado e presente e não quero fazer isso. Quero falar do trabalho e das ideias que esta equipa quer ter e que conseguiu hoje apresentar algumas em campo. O meu desejo é que de dia para dia a equipa possa estar mais familiarizada com o que pretendo."

Estilo de jogo a implementar no Nacional: "Tenho ideias concretas do que quero pelo jogo e obriga-nos a trabalhar muito para os jogadores poderem assimilar rapidamente as ideias, mas não posso descurar que o Nacional está no penúltimo lugar. É evidente que tem de haver um trabalho do foro psicológico e fazê-los acreditar nas competências que têm. E esta equipa tem jogadores competentes para jogar futebol. Ainda bem que conseguimos vencer hoje aqui. Sabem como são estas dinâmicas? Podes treinar muito, mas, se não ganhares, há desconfiança. Temos de acreditar que este é o caminho e que temos de vencer as finais que temos pela frente."

Próximos dois meses que o Nacional vai ter pela frente: "Disse aos jogadores que são dois meses para nos dedicarmos de corpo e alma ao Nacional. Tudo o resto vai ter de ficar um pouco de lado: a família, o lazer e a vida social. Vai ter de ser para alcançarmos o objetivo da permanência. Esta vitória faz com que eu vá exigir mais deles e que eles me vão dar ainda mais".