"O Rúben Micael não está disponível para servir de arma de arremesso"

Rúben Micael, capitão do Nacional

 foto Miguel Pereira/Global Imagens

Médio do Nacional deixou uma carta aos adeptos nas redes sociais.

Rúben Micael, capitão do Nacional, deixou nas redes sociais uma carta aberta aos adeptos, visando António Domingos Abreu, um assumido adepto do clube madeirense, muito crítico da gestão de Rui Alves e sempre conotado como possível candidato à presidência do clube. Em causa estão informações de que o jogador, referência do Nacional, poderia integrar uma lista candidata às eleições como diretor desportivo. Informações essas que o antigo internacional português nega por completo.

"Tenho consideração pelo senhor António Domingos Abreu. Lamento, porém, que me tenha incluído nos seus escritos sem sequer procurar saber, por mim ou alguém meu conhecido, se o que lhe dizem é verdade. Não questiono a seriedade do senhor António Domingos Abreu. Mas aconselho-o a procurar outros círculos informativos, de forma a não contribuir, também, para a desestabilização de um clube que não é seu, nem meu. É de todos os nacionalistas. E precisa de todos. Tenho a certeza que não seria esse o seu intuito, mas foi isso que conseguiu", surge escrito.

"Como não tive oportunidade de dissipar dúvidas frente a frente, aproveito para fazê-lo desta forma, para que não restem dúvidas as nacionalistas: o Rúben Micael, capitão do Nacional, não está disponível para servir de arma de arremesso de ninguém. Nem agora, nem nunca. O Rúben Micael, capitão do Nacional, está totalmente comprometido com o projeto desportivo em vigor. O Rúben Micael, capitão do Nacional, apela à união de todos para benefício da instituição. O Rúben Micael, capitão do Nacional, não é candidato a nada. O Rúben Micael, capitão do Nacional, quer apenas ajudar dentro de campo para que a equipa sai da situação em que se encontra. O Rúben Micael, capitão do Nacional, ao contrário de outros, tem memória e mostra-se agradecido a quem sempre acreditou em si. O Rúben Micael, capitão do Nacional, vai lutar com todas as suas forças para que o Nacional continue a dignificar a sua história. Precisamos de união e não ceder ao facilitismo de discutir sobre tudo e sobre nada", acrescenta.

Estas palavras surgem como reação ao que António Domingos Abreu escreveu nas redes sociais: "É do conhecimento geral que de momento o ainda Presidente da AG do Nacional está a promover uma lista para as próximas eleições no clube. Falta-lhe ainda anunciar a marioneta que assumiria a presidência, face à falta de coragem de assumir a candidatura ele próprio. Reserva-se ao lugar de Senador, de magister supremo. Mas já encontrou o diretor desportivo na pessoa do, imagine-se e para nosso espanto, nada mais nada menos que o atual capitão da equipa, Rúben Micael. Eu pergunto: isto é aceitável? Faz sentido colocar um, ainda jogador e funcionário, nesta posição, ainda para mais capitão da equipa?".