"Vendo o que se passou, um ponto fora de casa é sempre positivo"

"Vendo o que se passou, um ponto fora de casa é sempre positivo"

Vítor Campelos, treinador do Moreirense, acha que empatar em Setúbal foi positivo

Palavras para Ricardo: "A vida é muito mais do que futebol, por isso, quero mandar um abraço ao Ricardo [guarda-redes do Chaves que foi recentemente diagnosticado com doença oncológica]. Também já dei esse abraço ao Nuno Pinto [defesa do Vitória de Setúbal que debelou doença].

Sobre o jogo: "Foi um jogo equilibrado. Entrámos bem na primeira parte e chegámos ao golo, mas foi anulado. Criámos algumas ocasiões de perigo, sabíamos que vínhamos defrontar um adversário complicado no seu reduto."

Pós-intervalo: "Na segunda parte, o Vitória de Setúbal teve mais posse de bola. No cômputo geral, resultado ajusta-se ao que se passou. Podíamos ter ligado melhor os lances no último passe para criarmos mais mossa no Vitória. Queria os três pontos, mas vendo o que se passou. Um ponto fora de casa é sempre positivo."

As mudanças: "As entradas de Luther e Nenê foram para dar frescura ao ataque e tentarem marcar. Estava muito calor para os jogadores. Foi um desgaste enorme para eles. Queríamos três pontos e acabámos por levar um."

O que faltou ao ataque: "Errámos demasiados passes. Foi essa a grande diferença para o último jogo que fizemos [3-0 ao Gil Vicente].