Sá Pinto, o lugar de play-off e a preferência de adversário: "A que não estiver tão inspirada"

Sá Pinto, o lugar de play-off e a preferência de adversário: "A que não estiver tão inspirada"

Declarações de Ricardo Sá Pinto, treinador do Moreirense, após o triunfo por 4-1 sobre o Vizela e garantia de lugar de play-off na luta pela permanência na Liga Bwin.

Análise: "Ainda não acabou, mas temos de viver este momento como algo de muito bom que nos aconteceu contra algumas adversidades que fomos tendo, diversas, em que não tivemos felicidade. Hoje sim, tivemos felicidade do resultado do Tondela-Boavista, não dependíamos só de nós, mas o que tínhamos de fazer fizemos. Fomos eficazes, criámos, entrámos fortes, determinados. Hoje as coisas correram como tinham de correr. Estava na hora de termos algum retorno, alguma felicidade. Tínhamos sido superiores e não tínhamos conseguido resultados. Hoje conseguimos. Demos um passo muito importante na manutenção, mas faltam dois jogos. Vai ser difícil de igual forma. Já tive oportunidade de ver Rio Ave, Casa Pia, Chaves, são equipas boas. "

Preferências? "A que não estiver tão inspirada contra nós, a que estiver mais cansada. As três são boas e difíceis. São jogos diferentes, a eliminar, tudo pode acontecer. Temos de nos preparar mentalmente muito bem. Depois de conseguir o que conseguimos, não podemos desperdiçar a oportunidade."

Como preparar os jogadores para este jogo? "Houve uma grande preocupação com o lado emocional. Sabíamos que empatar não chegava, teríamos de ganhar. Ganhando, tínhamos a certeza que íamos ficar. A equipa acreditou, nunca desistiu, nunca desligou. Não havia algo que estivesse a ser mal feito ou estivéssemos a descurar. Estava tudo em sintonia, os jogadores estavam envolvidos, satisfeitos. Grande ambiente. Foi não deixá-los desligar, fazer acreditar através de imagens, de vídeos, coisas boas que fizemos. Valorização diária do que estavam a fazer, não deixar que perdessem a confiança, manter a equipa viva. Eles foram excelentes profissionais, nunca quiserem desligar, foi fundamental."

O que foi mais difícil nesta reta final? "O mais difícil foi viver com resultados inesperados e injustos consecutivamente. Havia um lote de sete ou oito equipas que podiam descer de divisão. São más? Não, mas são muito iguais. Tínhamos vantagem sobre Arouca, Tondela, Belenenses, consolidamos hoje sobre o Vizela. Fomos melhor do que eles em duas mãos, faltou aqui ou acolá algum ponto noutro jogo."