Os jogadores trabalharam, estão feridos no orgulho e vão dar uma grande resposta"

Os jogadores trabalharam, estão feridos no orgulho e vão dar uma grande resposta"

Vítor Campelos, treinador do Moreirense, fez a antevisão ao encontro com o Aves.

O treinador Vítor Campelos promete que o Moreirense vai responder à eliminação da Taça de Portugal de futebol com uma "atitude" que lhe permita vencer o Aves, sábado, na 12.ª jornada da I Liga. Depois do afastamento da prova rainha em sua própria casa pelo Mafra, da II Liga (3-1), no fim de semana anterior, a turma da vila de Moreira de Cónegos regista apenas um triunfo nos últimos nove jogos oficiais (3-1 ao Fabril, para a Taça, precisamente), mas o treinador disse que os jogadores estão prontos para 'vingar' esse "golpe" na receção à formação avense.

"Foi um golpe muito duro a eliminação da Taça de Portugal, porque queríamos dar continuidade à nossa participação. Algumas vezes, quando se perde, precisamos de uma resposta rápida e enérgica e de jogar o mais rapidamente possível. Os jogadores trabalharam, estão feridos no seu orgulho e vão dar uma grande resposta", salientou o técnico, na antevisão à partida agendada para as 15:30.

Vítor Campelos admitiu que o desejo de regresso aos triunfos, que, no campeonato, não acontecem desde 30 de agosto - triunfo por 1-0 sobre o Portimonense -, é apimentado pela "rivalidade" entre Moreirense e Aves, clubes cujas vilas distam oito quilómetros, mesmo estando em concelhos diferentes - Moreira de Cónegos fica em Guimarães e Vila das Aves em Santo Tirso. "É um dérbi. É um jogo extremamente importante para nós e para os nossos adeptos. Um dérbi é para jogar e ganhar. Os nossos adeptos gostam muito de ganhar este jogo contra um adversário daqui perto, com o qual há grande rivalidade", reconheceu.

O treinador considerou, por isso, que a sua equipa, 13.ª classificada da I Liga, com 11 pontos, vai precisar de uma "atitude" e de um "querer" superiores aos do adversário para vencer, ainda que o Aves seja o lanterna vermelha, com três pontos após 11 partidas, e tenha a defesa mais batida da prova (26 golos sofridos).

Depois de Augusto Inácio e de Leandro Pires, a formação avense vai, em Moreira de Cónegos, realizar o primeiro jogo com o terceiro treinador nesta época, Nuno Manta Santos. Os cónegos, disse Vítor Campelos, estão preparados para enfrentar o opositor com "muita concentração" e "muita entrega", independentemente de o opositor jogar com um sistema tático 4x3x3 ou 4x4x2, mas reconheceu que o Aves pode mostrar algo de novo em campo, face à mudança de treinador.

Vítor Campelos reconheceu ainda que o onze do desaire com o Mafra pode sofrer alterações, até porque, no fim de semana anterior, alguns elementos não jogaram por terem regressado das seleções já muito perto do desafio e o médio Filipe Soares estava castigado, devido à expulsão no duelo com o Famalicão, para a 11.ª jornada (3-3).