Seabra quer resposta em Braga: "Não vamos ficar a chorar sobre leite derramado"

Seabra quer resposta em Braga: "Não vamos ficar a chorar sobre leite derramado"
Redação com Lusa

Tópicos

O treinador, de 38 anos, que afirmou no final do encontro ante o Chaves (derrota por 1-2) que assistiu ao pior jogo do Marítimo desde que está no emblema insular, admitiu perante os jornalistas que o que o "foi vivido não será esquecido".

Vasco Seabra, treinador do Marítimo, garantiu esta sexta-feira que o momento de dar resposta às duas derrotas no arranque da Liga Bwin é já no próximo jogo, diante do Braga, a contar para a terceira jornada da competição.

"Não vamos ficar a chorar sobre o leite derramado, nem a achar que não aconteceu nada, claro que aconteceu e assumimo-lo, com vontade de sermos diferentes e melhores, dando a resposta, naturalmente, no próximo jogo", foram as palavras de Vasco Seabra na antevisão ao embate de domingo na Pedreira.

O treinador, de 38 anos, que afirmou no final do encontro da última jornada ante o Chaves, derrota por 1-2, que foi o pior desde que está no emblema insular, admitiu perante os jornalistas que o que o "foi vivido não será esquecido".

"Aquilo que vivemos é para não esquecermos, mas tornar presente o que queremos fazer. Seguimos com o máximo de foco e vontade de fazermos as coisas à nossa maneira. Esse tem sido sempre o nosso apanágio, dizermos não ao histerismo que por vezes se cria e dizermos sim aquilo que são as nossas atitudes, a forma como enfrentamos os jogos e as coisas que advêm", destacou o timoneiro do conjunto madeirense.

Quando questionado se achava que a onda de descontentamento gerada após as derrotas diante do FC Porto, (5-1) e Chaves (1-2) era histerismo, o treinador natural de Paços de Ferreira explicou que entendia como ruído.

"Quando falo de histerismo, falo de ruído. No ano passado quando chegamos a equipa estava em 17.º lugar e passadas quatro semanas estavam-me a falar em competições europeias. É o mesmo histerismo, não confundam pelo facto de ser negativo ou positivo", frisou.

Apesar das sete contratações para a época 2022/23, os leões do Almirante Reis ainda não utilizaram de início nenhuma nas duas partidas disputadas. Em resposta a este reparo, Vasco Seabra utilizou o exemplo do FC Porto.

"É curioso que toda a gente fique muito preocupada se os reforços jogam ou não. Respeito isso, mas vemos o campeão nacional, que é o exemplo de uma equipa que foi a melhor no ano passado, daí o título. Saíram jogadores que me parece que eram importantes no onze e chegaram reforços que também não jogam. Qual é o problema disso?", adiantou o treinador, relembrando a importância de "gerir em função daquilo que é o equilíbrio da equipa e o momento de forma de cada um".

De regresso às opções de Vasco Seabra para a visita ao Braga está o lateral esquerdo Victor Costa e o médio João Afonso, totalmente recuperados das mazelas físicas que os afastaram do arranque da competição.

Quando ao adversário, o técnico, de 38 anos, descreve como uma "equipa recheada de bons jogadores, bem treinada e com uma ideia de jogo bem vincada", enaltecendo ainda o início de campeonato muito forte, após um empate frente ao Sporting (3-3) e uma vitória diante do Famalicão (0-3).

"Sabemos que vai ser um adversário extraordinariamente difícil, mas temos de encarar o jogo como uma oportunidade", concluiu.

O Marítimo visita o Braga, às 18h00 de domingo, em partida da terceira jornada da Liga Bwin, com arbitragem de António Nobre, da Associação de Futebol de Leiria.