"Se fico com medo quando o lenço branco aparece, não posso ser treinador"

"Se fico com medo quando o lenço branco aparece, não posso ser treinador"

Nuno Manta, treinador do Marítimo, diz que assume a responsabilidade após derrota caseira com o Belenenses

O golo de canto direto: "Foi um jogo ingrato para o Marítimo, que entrou a controlar o Belenenses, até que eles fizeram o golo, num canto direto, o que destabilizou a nossa estratégia. Criámos situações de finalização e chegámos perto da área do Belenenses, mas não fizemos o golo da igualdade ainda na primeira parte e, depois, mais uma vez num lance de bola parada, sofremos o segundo golo."

Resposta: "Na segunda parte, mudámos a atitude, o empenho, as dinâmicas em termos de verticalidade e intensidade do nosso jogo e encostámos o Belenenses à sua área. Fizemos o 2-1 muito cedo. Fomos criando situações e não conseguimos fazer o golo da igualdade. Num livre direto, o Belenenses fez o 3-1 e nós procurámos reduzir a desvantagem. Não foi possível. Não era isto que tínhamos planeado, depois da vitória em Paços de Ferreira. Queríamos continuar o ciclo de vitórias em casa"

Contestação dos adeptos: "Tenho de aceitar. Se queremos que o Marítimo ganhe todos os jogos e não há resultados, normalmente, o treinador é o responsável por isso e eu assumo essa responsabilidade. Claro que sinto [condições para continuar]. Sinto o trabalho diariamente para o Marítimo ser mais forte e evoluir. Se fico com medo quando o lenço branco aparece, não posso ser treinador".