Júlio Velázquez desvaloriza jogar na Choupana: "Não vai ser desculpa"

Júlio Velázquez desvaloriza jogar na Choupana: "Não vai ser desculpa"
Redação com Lusa

Tópicos

Com o relvado ainda em condições precárias e depois de duas notas negativas (diante do Braga e do FC Porto), o Estádio da Madeira será a alternativa para a receção ao Arouca.

O treinador do Marítimo, Júlio Velázquez, disse que fazer casa no estádio do Nacional não servirá de desculpa para "ganhar, empatar ou perder" com o Arouca, na quinta jornada da Liga Bwin.

Com o relvado ainda em condições precárias e depois de duas notas negativas (diante do Braga e do FC Porto), o Estádio da Madeira, casa do eterno rival Nacional, será a alternativa para a receção ao Arouca, na segunda-feira, às 19:00.

"A dinâmica de preparação do jogo foi a mesma. Não vai ser desculpa para ganhar, empatar ou perder", sublinhou Júlio Velázquez, em conferência de imprensa.

O técnico espanhol destacou que "jogar na Madeira é um fator positivo" e enalteceu a "empatia entre o Marítimo e o Nacional" como um "exemplo para a sociedade".

"Acho que tem de haver sempre rivalidade, porque é algo intrínseco neste desporto, mas a empatia é algo bonito", afirmou o timoneiro "verde rubro".

O Marítimo chega à quinta jornada da I liga com uma vitória, um empate e duas derrotas, a última no terreno do Estoril Praia (2-1).

O adversário, que ascendeu esta época ao escalão mais alto do futebol português regista na mesma competição, uma vitória e três derrotas, a última no Estádio do Dragão (3-0).

Para Júlio Velázquez, o Arouca é uma equipa forte, "com uma boa transição ofensiva e muito compacta a nível defensivo", que vai lutar pelo seu objetivo, a manutenção, ao longo de toda a temporada.

"Vai ser um jogo difícil, em que vamos tentar fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para conseguir a vitória", destacou o treinador, de 39 anos.

Os últimos dois reforços anunciados pelo Marítimo nesta "janela" de transferências, Rafik Guitane e Ricardinho, deverão integrar a lista de convocados, segundo o treinador, que fez questão de frisar que "os dois se encontram em situações muito diferentes".

"Estão em condições, mas são duas situações totalmente diferentes. Ricardinho vem de uma dinâmica de treino e jogo totalmente normal. Rafik Guitane já conhece a ilha e o clube, mas não compete deste 19 de maio e treinava com a equipa B [do Rennes]", explicou.

Por outro lado, o ponta de lança camaronês Joel, ainda a contas uma lesão muscular na coxa esquerda, contraída na receção ao FC Porto (1-1), continua fora das opções do técnico maritimista, apesar de estar a "evoluir bem".

O Marítimo, 11.ª classificado, com quatro pontos, recebe o Arouca, que se encontra na 15.ª posição, com três, na segunda-feira, às 19:00, no Estádio da Madeira.