José Gomes pretende "consolidação de um Marítimo europeu"

José Gomes pretende "consolidação de um Marítimo europeu"
Carolina Rodrigues

Tópicos

Sucessor de Nuno Manta assinou um contrato válido por uma época e meia e vai estrear-se no comando técnico dos madeirenses no dia 30, na Luz, contra o Benfica

José Gomes foi apresentado esta quinta-feira como novo treinador do Marítimo. O sucessor de Nuno Manta esteve na sala de imprensa do Complexo Desportivo de Santo António com Carlos Pereira, presidente do clube, e com Briguel, diretor-desportivo, com quem tirou a fotografia da praxe a exibir a camisola do Marítimo. Curiosamente, Carlos Pereira afirmou que as conversações com José Gomes começaram há dez dias, ou seja antes da saída de Nuno Manta, a quem desejou "boa sorte" no novo desafio, o Aves.
"Estou feliz por regressar ao futebol português e também por abraçar este projeto", começou por dizer José Gomes. "Os jogadores vão gostar do trabalho que vou apresentar e também pretendo uma consolidação do lugar europeu do Marítimo", prometei o novo treinador da equipa maritimista que assinou um contrato válido até ao final de 2020/21, tal como O JOGO avançara.

José Gomes contará com a colaboração de Jorge Mendonça, com quem trabalha "há muitos anos" e com outros adjuntos que transitam da equipa técnica anterior. Além de traçar os objetivos neste novo desafio, José Gomes defendeu que estrear-se, a 30 de novembro, no Estádio da Luz, contra o Benfica, será "um excelente início". "É um excelente adversário, não é preciso fazer qualquer apelo extra para motivar os jogadores. É um jogo em que estaremos expostos ao que possam ser as nossas fragilidades".

Com 49 anos, José Gomes treinou, até outubro, o Reading, do Championship (segundo escalão do futebol inglês), e na época passada o Rio Ave. Do currículo do treinador natural de Matosinhos constam ainda os clubes sauditas Al-Taawon - onde fez um trabalho de grande nível - e Al-Ahli Jeddah, os húngaros do Videoton, Moreirense, Aves, Leixões e União de Leiria. José Gomes foi ainda campeão nacional pelo FC Porto, em dois anos consecutivos, como adjunto de Jesualdo Ferreira. E foi também adjunto no Panathinaikos (Grécia), Málaga (Espanha), Benfica, Covilhã, Paços de Ferreira e Gil Vicente, tendo começado a carreira no Valadares, clube do concelho de Vila Nova de Gaia.