Carlos Pereira não quer conversa com os jogadores

Carlos Pereira não quer conversa com os jogadores
Diogo Gaudêncio

Tópicos

Presidente anuncia processo disciplinar a Marega e acusa treinador Ivo Vieira de ter errado no jogo do Marítimo com o Amarante, na Taça de Portugal

A poucos dias do dérbi com o Nacional, a eliminação na Taça de Portugal, em casa do Amarante, do terceiro escalão nacional, está ainda atravessada na garganta de Carlos Pereira. O presidente do Marítimo não perdoa a ação de Marega, que foi expulso do jogo e dirigiu gestos obscenos aos adeptos do Amarante, e informou que o internacional maliano vai ser alvo de novo processo disciplinar. "Fiquei surpreendido com a atitude do Marega, mas quem o conhece sabe que ele é muito temperamental. É de lamentar e de pedir desculpa às pessoas. Será objeto de processo disciplinar pelo seu comportamento, que já é o terceiro menos próprio para com a equipa técnica, colegas e público, que estava em bom número", lamentou o dirigente. Recorde-se que Marega já foi alvo de processo disciplinar esta época, após ter faltado ao treino de 30 de agosto, o último antes da visita ao Belenenses. O avançado queria sair do clube ainda no verão e o empresário insistia no interesse de clubes franceses e alemães. Para Carlos Pereira, Marega tem de assumir a responsabilidade e adiantou ainda que a continuidade do jogador no clube está em risco. "Não é com esse comportamento que ele terá consideração por parte da administração", acrescentou.

O presidente dos insulares prescindiu da receita do jogo da Taça em prol do Amarante e justificou a decisão. "Era o mínimo que podia fazer para compensar o esforço das pessoas, que assistiram a um mau espetáculo de futebol." A responsabilidade pela derrota recai sobre todos, defendeu Carlos Pereira, que disse ter ficado "muito dececionado". Apesar de manifestar "plena confiança" no treinador, o dirigente considerou que Ivo Vieira também "errou", frisando que "neste momento, os jogadores não merecem diálogo comigo" e desafiando-os a "provar que são diferentes".