"Tomás Araújo e Rúben Dias foram os melhores centrais com quem trabalhei"

"Tomás Araújo e Rúben Dias foram os melhores centrais com quem trabalhei"
Pedro Granja

Tópicos

Renato Paiva, antigo treinador do central emprestado pelo Benfica, coloca-o ao nível do internacional português do Manchester City. Pelo segundo jogo consecutivo, Ivo Vieira apostou no internacional jovem, em detrimento do experiente capitão Rúben Fernandes, e a equipa respondeu com uma vitória e um empate.

"O Tomás Araújo e o Rúben Dias foram os melhores centrais com quem trabalhei. Tal como aconteceu com o Rúben, o Tomás pode chegar ao topo europeu". O vaticínio sobre o central emprestado pelo Benfica é de Renato Paiva, que foi seu treinador nos sub-19 (2018/19) e na equipa B (2020/21) dos encarnados.

Chegado a Barcelos, depois de uma época em que passou por quatro escalões (sub-19, sub-23, equipa B e principal) e que teve como ponto alto a conquista da Youth League, num encontro em que assumiu a braçadeira de capitão, tendo ao seu lado António Silva - também ele titular há dois jogos seguidos na equipa principal do Benfica -, Tomás Araújo, 20 anos, relegou para o banco de suplentes o capitão Rúben Fernandes, de 36 anos, algo que, desde 2019, nunca tinha acontecido por questões técnicas.

E o saldo foi positivo para o Gil Vicente: uma vitória fora e um empate caseiro.

Nada que surpreenda o atual timoneiro do Club León (México): "Sempre disse que seria um dos melhores centrais do Benfica. Acho que lhe faz bem o empréstimo. Para jogadores desta idade, jogar com regularidade é algo importante. A primeira liga ajuda muito no desenvolvimento deles e ainda para mais num clube como o Gil Vicente, que tem condições para fazer de novo uma segunda volta de grande nível. É claramente um patamar muito importante para a evolução do Tomás", comentou Renato Paiva, certo que o jovem defesa regressará mais forte à Luz.

"Não será o primeiro nem o último jogador que saiu da casa mãe, foi emprestado e voltou muito melhor. O Tomás é um jogador inteligente, tecnicamente fortíssimo, muito forte pelo ar, muito rápido. Precisa de melhorar ainda os índices de agressividade. Ele e o Rúben Dias foram os melhores centrais com quem trabalhei", atirou o técnico que prossegue a carreira no México.