"O golo do Tondela aparece num momento fortuito do jogo"

"O golo do Tondela aparece num momento fortuito do jogo"

Declarações de Rui Almeida, treinador do Gil Vicente, após o empate caseiro com o Tondela, na quarta jornada da I Liga

Sobre o jogo: "Sim, [faltou eficácia]. Temos de chegar com mais gente [à área contrária] para aumentarmos a probabilidade de a eficácia ser maior. Num jogo em que há 14 ou 15 remates para nós, situações de perigo evidente, temos de fechar [com golo] e de fazer um resultado claro, de 2-0 ou 3-0. Era esse [que deveria ser] o resultado do jogo."

Momento: "Saio frustrado do jogo, mas os resultados são sempre corretos. Não marcámos nas diversas oportunidades que tivemos, num jogo em que o Tondela sentiu dificuldades para controlar as nossas movimentações. Sentíamos que íamos marcar em qualquer momento do jogo. Continuámos a criar situações. O golo [do Tondela] aparece num momento fortuito do jogo, mas temos de fechar e, para isso, temos de chegar com três, quatro ou cinco [elementos à área adversária].

Vantagem: "Quando passam a ser contra 10, os jogos são completamente distintos. Nem precisámos muito de construção de primeira fase, porque o Tondela não nos pressionou. Baixou sempre o bloco e apostou tudo numa transição ou numa bola parada."

Crescer: "Fizemos um jogo de ataque organizado nos últimos 30 metros do terreno. Criámos oportunidades, não marcámos, mas vamos crescer. Temos jogadores novos que vão crescer, até na hora de atirar à baliza. Estaria muito mais preocupado se não tivéssemos criado ocasiões".