Escapou à tragédia da Chapecoense e brilhou frente ao FC Porto: eis a história de Lourency

Escapou à tragédia da Chapecoense e brilhou frente ao FC Porto: eis a história de Lourency
Francisco Sebe

Tópicos

Destino desviou o extremo brasileiro do acidente de aviação que vitimou mais de 70 pessoas, incluindo vários jogadores da "Chape".

Lourency abriu caminho à vitória do Gil Vicente sobre o FC Porto, no sábado, e mostrou predicados na estreia na Liga portuguesa.

O extremo brasileiro foi a grande figura no regresso dos "galos" ao principal escalão do futebol luso e somou mais uma história para contar, isto depois de, em 2016, ter sido um dos poucos jogadores do plantel da Chapecoense que escapou ao trágico acidente de avião que fez mais de 70 vítimas mortais, incluindo 19 futebolistas.

Lourency, então com 20 anos, só não foi chamado para a final da Taça Sul-Americana, que ia opor a "Chape" ao Atlético Nacional, da Colômbia, por uma questão de sorte... ou do destino. O agora jogador do Gil Vicente foi convocado pelo treinador dos sub-20 para poder ajudar a equipa a ser campeã estadual, falhando a deslocação a São Paulo (que antecedeu o fatídico voo). Como o plantel já não regressou a Santa Catarina após o duelo com o Palmeiras, Lourency não seguiu viagem.

Três anos depois, rumou a Portugal para assinar pelo Gil. Pelo meio ainda passou por Vila Nova e Brasil de Pelotas, a título de empréstimo, e já de regresso à Chapecoense fez três golos em 21 partidas. Em Barcelos, leva dois golos em dois jogos.

Veja o golo que Lourency marcou ao FC Porto: