"É impossível que quem esteja no VAR não veja", atira Vítor Oliveira

"É impossível que quem esteja no VAR não veja", atira Vítor Oliveira

Treinador do Gil Vicente destacou lance em particular no empate (1-1) com o Tondela.

Análise da primeira parte: "O empate penaliza as duas equipas. Não foi um bom jogo de futebol. A primeira parte ainda foi relativamente equilibrada, entrámos mal no jogo, os primeiros 10 minutos tivemos alguma dificuldade, sofremos um golo que já não se usa, de bola parada, o jogador não precisa sequer de saltar para fazer o golo. Depois equilibrámos e até estivemos por cima durante a primeira parte e tivemos ali quatro ou cinco situações de saída para contra-ataque, que, se fossem melhor aproveitadas, podíamos tirar um resultado diferente ao intervalo. Na segunda parte o jogo foi muito fraco de parte a parte. Tivemos duas oportunidades flagrantes de fazer o golo".

Reparo à arbitragem: "O Tondela também teve uma oportunidade flagrante num penálti que é importante que se diga que é procedido de falta sobre Rúben. O lance não deixa qualquer dúvida, é impossível que quem esteja no VAR não veja esta situação".

Ponto conquistado: "Um ponto fora é bom, aqueles três pontos que o Tondela, eventualmente, contaria contra uma equipa do seu campeonato, só conseguiu um e também é bom para nós, tirar esses dois pontos, mas penso que o melhor deste jogo foi o ponto conquistado fora de casa perante uma equipa do nosso campeonato".