José Mota: "Resultado justo, mas Marítimo não foi superior"

José Mota: "Resultado justo, mas Marítimo não foi superior"

O treinador diz que o Feirense "não tinha uma tarefa fácil" e inclusivamente dominou na segunda parte, mas "não tem tido sorte".

José Mota viu o Feirense perder com o Marítimo, uma equipa que "tem bons executantes, um conjunto forte, tem sido uma das melhores do campeonato em casa", mas defende que a sua equipa não foi inferior. "O Marítimo marcou dois golos, acaba por ser justo o resultado, mas não foi superior ao Feirense, muito pelo contrário", começa por afirmar.

"Perante este cenário, tínhamos uma tarefa difícil. Posicionámo-nos muito bem no nosso meio-campo e saímos em transições, o que fazia parte da estratégia. Não conseguimos, muito por mérito do adversário, também não fomos agressivos sobre o portador da bola, mas penso que o jogo estava a correr de feição, porque o Marítimo também não tinha oportunidades. Surgiu o primeiro golo num canto, numa altura em que tínhamos um jogador fora, a ser assistido pelo departamento médico. Consentimos o golo e isso perturbou, porque não queríamos sofrer golos. Entretanto, novo canto e novo golo. Acho que, quando acontece de bola parada, há sempre mérito e o Marítimo tem jogadores muito bons no jogo aéreo, tem feito vários golos de canto e sofremos dois golos de canto", acrescentou.

A segunda parte do jogo, sublinha José Mota, "foi completamente diferente", com o "Feirense a dominar em todos os aspetos", mesmo quando esteve "reduzido a 10 jogadores". "Assumimos o jogo, jogámos no meio-campo adversário, tivemos as nossas possibilidades e podíamos ter feito melhor na finalização em alguns lances, mas também sabemos as nossas limitações", reconheceu o treinador, reconhecendo ser algo que tem "acontecido muitas vezes esta época, em que o Feirense consegue se superiorizar aos adversários, mas não tem concretizado nem tem tido sorte.