Famalicão como o FC Porto: uma autêntica maldição à direita

Famalicão como o FC Porto: uma autêntica maldição à direita

João Pedro Sousa já teve de lançar quatro laterais-direitos diferentes. Problemas neste sector vêm da época passada, onde cinco jogadores diferentes foram utilizados

A liderança do Famalicão durou sete jornadas e, apesar de os minhotos já não estarem no topo do campeonato, a equipa de João Pedro Sousa continua a ser líder, mas num parâmetro que tem dado muitas dores de cabeça ao treinador. É que os famalicenses já utilizaram quatro laterais-direitos diferentes esta temporada, registo que só encontra paralelo no FC Porto.

A época começou com Lionn a titular, só que o brasileiro perdeu o lugar na décima jornada, no empate (2-2) em Braga. Nesse encontro, João Pedro Sousa adaptou o central Patrick William à direita, jogador que repetira o que tinha feito na quinta jornada, quando Lionn cumpriu castigo. Acontece que Patrick se lesionou na ronda seguinte, na igualdade (3-3) diante do Moreirense, e Lionn também tem estado fora devido a problemas físicos. A juntar a isto, Konaté, o outro lateral-direito do plantel, que tem sido utilizado exclusivamente na Liga Revelação, também está lesionado. Assim sendo, o extremo Diogo Gonçalves recuou para a defesa na receção à Académica, para a Taça de Portugal, e o central Riccieli foi a terceira adaptação da temporada ao jogar na lateral ante o Portimonense.

São, portanto, já quatro os jogadores que passaram pelo lugar, tantos quantos o FC Porto lançou (Wilson Manafá, Mbemba, Saravia e Corona). Para piorar, Patrick William, Lionn e Konaté não devem recuperar para o jogo com o Tondela e, por isso, a solução continuará a passar pela adaptação ou de Riccieli ou de Diogo Gonçalves.

Os problemas do Famalicão com o lado direito da defesa não são de agora. Esta é uma espécie de maldição que já vem da época anterior, na qual os minhotos tiveram de recorrer a cinco jogadores para o sector. Na II Liga, Joel Monteiro foi o primeiro a ser lançado, Koffi Kouao, que entretanto acabou por sair para o Vizela, também por lá passou, à semelhança de Sylla e de Víctor García, que chegara em janeiro emprestado pelo V. Guimarães. O outro jogador foi Capela, médio que teve de ser adaptado devido a uma razia de castigos e lesões.