"Desorganizar o Paços de Ferreira torna-se uma tarefa extremamente complicada"

"Desorganizar o Paços de Ferreira torna-se uma tarefa extremamente complicada"
Mónica Santos

Tópicos

Treinador do Famalicão quer dar sequência às vitórias frente ao Paços de Ferreira.

Expectativas para a jornada com o Paços de Ferreira: "Vamos ter uma jornada muito complicada, um jogo extremamente difícil, perante uma equipa muito competitiva, bastante organizada, com excelente treinador, excelente equipa técnica. É das equipas de que realmente gosto no nosso campeonato. Está sempre equilibrada. Ao fazermos a análise do Paços de Ferreira, é difícil encontrarmos momentos em que está desequilibrada. Desorganizar uma equipa como a do Paços de Ferreira torna-se uma tarefa extremamente complicada. O nosso objetivo é tentar desorganizar as equipas para ser mais fácil chegarmos aos golos e às vitórias e esta dificilmente se desorganiza, pela sua competitividade, a sua competência tática."

Campana voltou da seleção lesionado: "Campana não está apto, continua a recuperar de uma lesão da seleção, e temos também o Anderson, que está a recuperar da cirurgia. Já é uma paragem, mas, em breve, vai regressar. Temos também o Calvin Verdonk, que continua de fora."

Duas vitórias consecutivas: "Claro que é sempre importante ganhar, vencer consecutivamente, mas creio que importante são as semanas de trabalho. O processo é contínuo e temos de estar sempre a evoluir, a melhorar o que está bem e a corrigir o que não está melhor."

Luís Júnior, Trotta e Jhonata Robert; a Taça deixou boas dores de cabeça: "Já as tinha, antes de os pôr a jogar já eram dores de cabeça. Estou muito contente com o desempenho deles e, seguramente, estarão disponíveis e capazes de fazer jogos ainda com melhor rendimento. É isso que esperamos de todo o plantel, esta entrega, esta disponibilidade."

Guga perdeu espaço: "O Guga está num contexto competitivo, num grupo de trabalho com muita qualidade e sabemos das dificuldades de alguns para jogarem. É a competição diária no clube e depois o treinador escolhe. Infelizmente, o Guga não tem sido tão utilizado como no início da época passada, mas, como já disse anteriormente, estou muito contente com o Guga. É um excelente profissional, muito importante no balneário, no entanto, como outros, não tem sido muito utilizado."

Só um golo dos pontas-de-lança: "Não é preocupação alguma. Importante é a equipa conseguir marcar. O papel do ponta-de-lança não começa nem termina só nos golos. No nosso grupo de trabalho, nós sabemos que a primeira responsabilidade no processo defensivo é no ponta-de-lança. Portanto, o papel do nosso ponta-de-lança é muito mais do que marcar golos e em tudo o resto têm feito um papel fantástico."